Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China desenvolve 2 novos bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, diz inteligência americana

A Força Aérea da China, que já tem dois caças furtivos, está trabalhando em dois novos projetos de aviões furtivos de médio e longo alcance, informou um relatório da inteligência militar dos EUA.
Sputnik

Os fabricantes de aviões chineses estão envolvidos em dois projetos de bombardeiros furtivos ao mesmo tempo, informou a edição Aviation Week, citando um relatório da Agência de Inteligência do Departamento de Defesa dos EUA.


A existência de um desses projetos, H-20 ou H-X, foi confirmada pela Força Aérea Chinesa em 2017. Entretanto, não foi divulgada nenhuma informação confiável sobre o segundo projeto.

De acordo com o Pentágono, o segundo projeto, designado JH-XX, envolve o desenvolvimento de um caça-bombardeiro de médio alcance. O avião será equipado com radar AESA, mísseis ar-ar e mísseis ar-terra. Os especialistas em inteligência militar estadunidense acreditam que essa aeronave entrará em serviço da Força Aérea chinesa não antes de 2025.

No desenvolvimento desses novos aviões de comba…

Atmaca, primeiro míssil mar-mar da Turquia, pronto para produção em massa


Míssil superfície-superfície é destinado a aumentar a dissuasão do mar, diz autoridade da indústria de defesa


Por Goksel Yildirim | Anadolu Agency | Poder Naval

ANCARA – O primeiro míssil marítimo autóctone da Turquia está pronto para produção em massa, anunciou na sexta-feira a Presidência das Indústrias de Defesa da Turquia (SSB).



O míssil superfície-superfície Atmaca deve reforçar a dissuasão marítima, disse a SSB em um comunicado.

O acordo para a produção em massa do míssil foi assinado entre a SSB e o fabricante de mísseis Roketsan, acrescentou.

Sob o acordo, os equipamentos e peças de reposição para o sistema de controle de tiro do míssil serão produzidos pela empresa líder de defesa turca Aselsan.

O projeto Atmaca foi lançado para atender à necessidade de que mísseis de cruzeiro navais sejam implantados no programa de navios de guerra MILGEM das Forças Navais da Turquia.

O MILGEM – o primeiro programa de guerra autóctone da Turquia – foi realizado com mais de 65% de participação da indústria nacional, com mais de 50 empresas nacionais contribuindo para o projeto, de acordo com o SSB.


Características do Atmaca

O míssil antinavio Atmaca (Falcão) da Turquia começará a ser produzido e colocado em serviço pela Marinha Turca em 2018 (espera-se equipar os corvetas MILGEM e as Fragatas Oliver Hazard Perry). O míssil antinavio Atmaca foi testado pela primeira vez no final de 2017.


Míssil superfície-superfície Atmaca saindo do lançador
Míssil superfície-superfície Atmaca saindo do lançador

O míssil foi desenvolvido pela Roketsan. A Subsecretaria das Indústrias de Defesa da Turquia (SSM) assinou um contrato em 2009 na fase de pesquisa e desenvolvimento do projeto Atmaca, com a Roketsan como contratada principal. O trabalho no Atmaca começou após a assinatura do contrato com a Roketsan em 2009, como resultado do trabalho de longa duração no Comando do Centro de Pesquisas do Comando das Forças Navais (ARMERKOM).

O Atmaca tem capacidades semelhantes aos mísseis Exocet (França), C-802 (China) e Harpoon (EUA). Ele pesa 800 kg e carrega uma ogiva pesando 200 quilos. Voa a uma velocidade variável enquanto atinge um alcance máximo de 200 km. Enquanto isso, o Harpoon americano de 691 kg tem um alcance de 140 km.

Sua orientação é obtida por meio dos sistemas INS/GPS (Sistema de Navegação Inercial/Sistema de Posicionamento Global), enquanto na fase terminal utiliza um sistema de radar ativo para busca independente e detecção de alvos. O Atmaca também tem hardware de link de dados.

Com isso, o Atmaca poderá ter seu alvo atualizado remotamente enquanto estiver voando. A asa principal do míssil turco é maior do que do Harpoon, resultando em maior envergadura. Há duas dobradiças na asa principal do Atmaca comparadas a uma das asas do Harpoon. Essa mudança foi feita para melhorar o desempenho de voo do míssil.

As aletas de controle do míssil turco são consideravelmente menores que o míssil dos EUA. A Turquia pretende empregar o mini motor turbojato Kale 3500 no lugar do Microturbo TRI 40, que alimenta o Míssil Stand-off (SOM) lançado pelo ar (ALCM).




Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas