Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Conselho de Segurança suspende sanções contra Eritreia após acordo de paz com Etiópia

Uma série de sanções internacionais impostas sobre a Eritreia há quase uma década foi suspensa de forma unânime pelo Conselho de Segurança na quarta-feira (14), quatro meses após a assinatura de um histórico acordo de paz com a Etiópia, em julho.


ONU

Na época, o acordo foi elogiado pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que o classificou como “um vento soprando na direção da paz”, e as relações melhoraram consistentemente desde então.

Reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Somália, em 14 de novembro de 2018. Foto: ONU/Eskinder Debebe
Reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Somália, em 14 de novembro de 2018. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Como parte do acordo, a Etiópia pediu para o Conselho de Segurança suspender as sanções, que envolviam embargos de armas, proibições de viagens, congelamento de ativos e sanções específicas mirando certos grupos e indivíduos.

O representante permanente da Eritreia para as Nações Unidas, Amanuel Giorgio, elogiou a suspensão das sanções como um marco para o fim de um período difícil para a Eritreia e para a região.

“A Eritreia como nação está comprometida a trabalhar com todos os seus vizinhos. O acordo de paz entre Eritreia e Etiópia e o acordo tríplice entre Eritreia, Etiópia e Somália marcam o começo de um novo amanhecer”, disse, acrescentando que “é hora de redobrar esforços e trabalhar de perto com vizinhos para construir uma região em paz consigo mesma”.

O Reino Unido foi o país que presidiu o processo de esboço da resolução para suspender sanções, e a embaixadora do Reino Unido para a ONU, Karen Pierce, disse que a resolução reconhece melhorias na paz e segurança regional.

“Não somente é um passo muito importante para os países na região, mas também envia um importante sinal mais amplo para a comunidade internacional de que, se as medidas corretas forem adotadas, sanções podem ser suspensas”, declarou.

Falando em nome da Etiópia, o representante permanente do país na ONU, Taye Atske Selassie Made, elogiou “incondicionalmente” a adoção da resolução que, segundo ele, seu país apoia totalmente.

“Estamos apoiando esta resolução hoje, em um momento em que um importante e histórico fato está se desdobrando no Chifre da África”, disse.

“Os avanços a partir da reaproximação entre Etiópia e Eritreia já estão produzindo consequências de longo alcance sem precedentes e positivas, e estão alterando significativamente o cenário político do Chifre da África e além.”

O encontro do Conselho de Segurança também reafirmou o embargo de armas sobre a Somália e pediu para o secretário-geral da ONU realizar uma avaliação técnica do embargo em vigor contra o país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas