Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Conselho de Segurança suspende sanções contra Eritreia após acordo de paz com Etiópia

Uma série de sanções internacionais impostas sobre a Eritreia há quase uma década foi suspensa de forma unânime pelo Conselho de Segurança na quarta-feira (14), quatro meses após a assinatura de um histórico acordo de paz com a Etiópia, em julho.


ONU

Na época, o acordo foi elogiado pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, que o classificou como “um vento soprando na direção da paz”, e as relações melhoraram consistentemente desde então.

Reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Somália, em 14 de novembro de 2018. Foto: ONU/Eskinder Debebe
Reunião do Conselho de Segurança sobre a situação na Somália, em 14 de novembro de 2018. Foto: ONU/Eskinder Debebe

Como parte do acordo, a Etiópia pediu para o Conselho de Segurança suspender as sanções, que envolviam embargos de armas, proibições de viagens, congelamento de ativos e sanções específicas mirando certos grupos e indivíduos.

O representante permanente da Eritreia para as Nações Unidas, Amanuel Giorgio, elogiou a suspensão das sanções como um marco para o fim de um período difícil para a Eritreia e para a região.

“A Eritreia como nação está comprometida a trabalhar com todos os seus vizinhos. O acordo de paz entre Eritreia e Etiópia e o acordo tríplice entre Eritreia, Etiópia e Somália marcam o começo de um novo amanhecer”, disse, acrescentando que “é hora de redobrar esforços e trabalhar de perto com vizinhos para construir uma região em paz consigo mesma”.

O Reino Unido foi o país que presidiu o processo de esboço da resolução para suspender sanções, e a embaixadora do Reino Unido para a ONU, Karen Pierce, disse que a resolução reconhece melhorias na paz e segurança regional.

“Não somente é um passo muito importante para os países na região, mas também envia um importante sinal mais amplo para a comunidade internacional de que, se as medidas corretas forem adotadas, sanções podem ser suspensas”, declarou.

Falando em nome da Etiópia, o representante permanente do país na ONU, Taye Atske Selassie Made, elogiou “incondicionalmente” a adoção da resolução que, segundo ele, seu país apoia totalmente.

“Estamos apoiando esta resolução hoje, em um momento em que um importante e histórico fato está se desdobrando no Chifre da África”, disse.

“Os avanços a partir da reaproximação entre Etiópia e Eritreia já estão produzindo consequências de longo alcance sem precedentes e positivas, e estão alterando significativamente o cenário político do Chifre da África e além.”

O encontro do Conselho de Segurança também reafirmou o embargo de armas sobre a Somália e pediu para o secretário-geral da ONU realizar uma avaliação técnica do embargo em vigor contra o país.

Comentários

Postagens mais visitadas