Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Coreias levantam bandeiras amarelas em postos de guarda ao longo da fronteira fortificada

As Coreias do Norte e Sul levantaram bandeiras amarelas em 22 postos de guarda perto da fortemente fortificada fronteira entre os dois países. O passo é visto como o primeiro na tentativa de desmantelar a militarização entre os dois lados, informou a imprensa local neste domingo, citando funcionários do Ministério da Defesa sul-coreano.


Sputnik

As bandeiras foram hasteadas para mostrar que os postos de guarda devem ser desmontados seguindo um acordo alcançado na terceira cúpula intercoreana em setembro, segundo a agência de notícias Yonhap.


Soldados sul-coreanos montam guarda em um posto de controle na Ponte da Grande Unificação, que leva à aldeia de trégua Panmunjom, ao sul da zona desmilitarizada que separa as duas Coreias.
Militares da Coreia do Sul na fronteira com a Coreia do Norte © REUTERS / Kim Hong-Ji

"O objetivo é permitir que cada lado observe o progresso no trabalho de desmantelamento para que possa ser realizado de forma transparente", disse um funcionário do Ministério da Defesa, segundo a agência.

Em setembro, Seul e Pyongyang assinaram um pacto militar que pedia a remoção gradual de postos de guarda "a título experimental" da Zona Desmilitarizada (DMZ) que separa as duas Coreias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas