Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

Departamento de Estado: EUA vai impor novas sanções contra a Rússia pelo caso Skripal

Os Estados Unidos pretendem avançar com a imposição de sanções adicionais contra a Rússia pelo ataque contra o agente russo Sergei Skripal, conforme exigido por lei, disse à Sputnik a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert.


Sputnik

"Hoje, o Departamento informou ao Congresso que não podíamos certificar que a Federação Russa atendia às condições exigidas pela Lei de Eliminação de Guerra e Controle de Armas Químicas e Biológicas de 1991", disse Nauert. "Pretendemos proceder de acordo com os termos da Lei CBW, que orienta a implementação de sanções adicionais".


Militares limpando os pontos relacionados ao envenenamento de Skripal em Salisbury.
© Sputnik / Alex McNaughton

Nauert acrescentou que o Departamento de Estado está consultando o Congresso sobre as sanções, como também é exigido pela lei.

Os Estados Unidos acusaram a Rússia de envolvimento no ataque do agente nervoso de 4 de março a Skripal e sua filha Yulia, na cidade inglesa de Salisbury, uma reivindicação repetidamente negada por Moscou.

"A Lei de Armas Biológicas Químicas determina que o Departamento de Estado certifique ao Congresso se a Rússia cumpriu as condições exigidas pela lei três meses após a determinação inicial do caso Skripal. Essa determinação inicial foi feita em 6 de agosto e isso nos leva a 6 de novembro", disse o porta-voz adjunto do Departamento de Estado, Robert Palladino, em uma coletiva de imprensa na semana passada.

As condições impostas por Washington a Moscou incluem a Rússia cessar suas alegadas armas químicas e garantir que não as utilizará, além de permitir que inspetores internacionais verifiquem essas garantias, segundo o Departamento de Estado.

Palladino também disse que não há cronograma associado às consultas do Departamento de Estado com o Congresso sobre a nova onda de sanções contra a Rússia.

O enviado russo aos Estados Unidos, Anatoly Antonov, disse que Moscou tem recebido informações conflitantes sobre os tipos de novas sanções norte-americanas que podem ser aplicadas.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas