Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Entenda vantagens do caça russo Su-57 perante F-22 e F-35

O chefe e desenvolvedor principal da empresa aeronáutica russa OKB Sukhoi, Mikhail Strelets, contou ao canal Zvezda sobre a superioridade do caça russo Su-57 sobre os caças norte-americanos F-22 Raptor e F-35.


Sputnik

De acordo com Mikhail Strelets, o caça F-22 tem menor capacidade de destruição de alvos terrestres. O caça F-35, por sua vez, perde em capacidade de manobra e características de aceleração não apenas perante o Su-57, mas também perante os caças russos de quarta geração.


Caça multifuncional Su-57 (PAK FA) participa do ensaio da parte aérea da 73ª Parada da Vitória que se realizará na Praça Vermelha, em Moscou, em 9 de maio de 2018
Sukhoi Su-57 © Sputnik / Grigory Sysoev

O desenvolvedor destacou que o Su-57 é multipropósito e é capaz de destruir com eficácia alvos tanto aéreos, como terrestres, enquanto o F-22 e o F-35 podem cumprir um nível limitado de tarefas.

Segundo Strelets, quanto maior a correlação entre a carga útil, que o avião pode portar, e sua massa, tanto maior a qualidade do avião "como portador". A mesma coisa acontece com o volume e massa do armamento colocado nos compartimentos interiores do avião.

"Por esse índice o Su-57 não tem análogos entre os aviões de quinta geração", declarou ele ao canal Zvezda, lembrando também os erros de projeto do caça americano F-35.

"O avião F-22 foi criado de origem para conquistar supremacia aérea. Apenas depois os americanos entenderam que foi errado ter como princípio projetar um avião para instalação somente de mísseis ‘ar-ar' e tentaram instalar meios aéreos ‘ar-superfície' na atual configuração de compartimentos, mas ela não permitiu instalar cargas maiores", explicou Strelets.

O Su-57 é o mais novo caça russo desenvolvido pela empresa aeronáutica Sukhoi. A aeronave efetuou seu primeiro voo em 2010 e é destinada a destruir alvos aéreos, terrestres e navais, além de ser capaz de superar os principais sistemas de defesa antiaérea.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas