Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin

A Rússia não deixará a decisão dos Estados Unidos de retirar-se unilateralmente do tratado de armas nucleares sem resposta, garantiu o presidente russo Vladimir Putin, acrescentando que o país não precisa se unir a outra corrida armamentista.
Sputnik

Moscou ainda está pronta para continuar dialogando com Washington sobre o tratado bilateral que proíbe os mísseis de médio alcance, que se tornou uma das pedras angulares do desarmamento nuclear, disse o líder russo em uma reunião do governo em Sochi. Ainda assim, os EUA devem "tratar esta questão com total responsabilidade", disse o presidente, acrescentando que a decisão de Washington de retirar-se do acordo "não pode e não ficará sem resposta".


Estas não são ameaças vazias, advertiu Putin. Ele disse que a Rússia já havia advertido os EUA contra a saída do tratado ABM que regulamenta os sistemas de mísseis e avisou Washington sobre possíveis retaliações. "Agora, temos armas hipersônicas capazes de penetrar qualquer…

Escassez de militares leva Reino Unido a procurar recrutas em outros países, relata jornal

O Reino Unido permitirá, pela primeira vez, que pessoas provenientes de outros países prestem serviço no seu Exército, escreve a edição britânica The Times.


Sputnik

Nos últimos três anos, o Exército britânico recrutou menos três mil soldados do que seria necessário, de acordo com o jornal. Além disso, no primeiro trimestre deste ano apenas 7% do número previsto de militares foram convocados ao serviço militar.


Militares britânicos em Vilnius, Lituânia
Militares britânicos © AP Photo / Mindaugas Kulbis

Como forma de lidar com a crescente crise associada à escassez de forças militares, o país britânico autorizará que pessoas que nunca viveram no país integrem as suas Forças Armadas.

O Ministério da Defesa britânico também decidiu cancelar a exigência de viver no país por cinco anos para cidadãos da Commonwealth (Comunidade das Nações), incluindo a Austrália, Índia e Canadá, além de pretender recrutar anualmente 1.350 militares de países estrangeiros.

A Marinha Real britânica iniciará o processo de convocação já no início do próximo ano.

Como observado pelo The Times, nos últimos três anos, o Exército britânico recrutou menos três mil soldados do que seria necessário. Durante o primeiro trimestre deste ano, apenas 7% do número exigido de militares foram convocados para o serviço militar.

Mark Francois, deputado do Partido Conservador britânico, comunicou que, segundo os dados apresentados ao Comitê de Defesa, se tudo correr como o esperado, neste ano o Exército atingirá apenas metade da meta de recrutamento.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas