Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

EUA esperam que Rússia se mantenha 'permissiva' quanto a ataques de Israel na Síria

Washington espera que a Rússia continue permitindo que Israel ataque forças militares do Irã na Síria após a entrega de sistemas antiaéreos S-300, afirmou recentemente o embaixador dos Estados Unidos na Síria, James Jeffrey.


Sputnik

"A Rússia tem sido permissiva, na consulta com os israelenses, quanto aos ataques de Israel contra objetivos iranianos na Síria. Esperamos certamente que esta atitude permissiva se mantenha", disse Jeffrey na quarta-feira (7) durante uma coletiva de imprensa, citado pela Reuters.


Resultado de imagem para caça israelense
F-16 Sufa israelense | Reprodução

Em outubro, a Rússia entregou seus sistemas de defesa antiaérea à Síria após o incidente com um avião Il-20 que foi abatido por um S-200 sírio devido às manobras de caças israelenses.

Irã é outro aliado importante do presidente sírio Bashar Assad, mas Israel considera Teerã como seu principal inimigo e prometeu combater o crescimento militar iraniano no território sírio.

"Israel tem um interesse existencial em bloquear que o Irã instale sistemas de projeção de força de longo alcance […] dentro da Síria para serem usados contra Israel. Entendemos esse interesse existencial e apoiamos Israel", acrescentou o embaixador.

De acordo com Jeffrey, os EUA visam promover uma solução política do conflito e assegurar que todas as forças estrangeiras deixem o território sírio, com exceção da Rússia.

Teerã, por sua parte, afirmou que permanecerá no país árabe enquanto o presidente Assad quiser. Tal como a Rússia, o Irã está na Síria a pedido oficial de Damasco.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas