Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

EUA não querem instalar 'Forte Trump' na Polônia, relata mídia

A edição polonesa Onet, citando uma fonte, declarou que os norte-americanos não querem instalar sua base militar, denominada "Forte Trump", na Polônia.


Sputnik

"A Polônia está pronta para abandonar o conceito original de ‘Forte Trump' a favor de outra forma de presença militar americana", escreve o artigo.


Soldados poloneses e norte-americanos durante exercícios conjuntos Anakonda 16 perto de Torun, Polônia, junho de 2016
Militares poloneses e norte-americanos © REUTERS / Kacper Pempel

A edição informa que, segundo as fontes, a questão do aumento da presença de forças dos EUA no país eslavo já está quase resolvida, mas o impasse está no fato dos americanos colocarem algumas condições.

Segundo o portal, no território da Polônia deverão ser instalados "armazéns de armas e munições, elementos da estrutura de comando e inteligência norte-americanos […] Este conceito, de acordo com nossos informantes, está sendo discutido atualmente pela Polônia e pelos Estados Unidos".

O conceito de base militar permanente na Polônia "quase não tem chance de implementação", porém, mas os dois países procuram por um compromisso de aumentar a presença militar americana no país europeu, de acordo a edição.

Na quinta-feira (15), o ministro da Defesa polonês, Mariusz Blaszczak, reuniu-se com James Mattis, chefe do Pentágono, para debater especificamente sobre a referida base e afirmou que "a proposta [polonesa] foi recebida com grande satisfação".

Em setembro, o presidente dos EUA, Donald Trump, após negociações bilaterais com o presidente polonês Andrzej Duda, disse que seu país estava considerando o estabelecimento de uma base militar permanente na Polônia e que Varsóvia concordou em pagar até US$ 2 bilhões (R$ 7,5 bilhões) para a construção da base, que o líder polonês sugeriu chamar de Fort Trump (Forte Trump, em português).

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas