Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Ex-deputado ucraniano aconselha Kiev a realizar guerra-relâmpago até Moscou

Kiev deve realizar uma blitzkrieg, ou seja, uma guerra-relâmpago, cujo alvo final é conquistar Moscou, declarou ao canal ZIK o ex-deputado ucraniano Taras Chernovol.


Sputnik

O ex-parlamentar expressou a sua ideia original comentando as eleições nas repúblicas autoproclamadas de Donbass e a possível resposta de Kiev.


Resultado de imagem para Taras Chernovol
Taras Chernovol | Reprodução

"Nós não podemos ocupar esses territórios [Donbass] por uma razão, porque é necessário acabar a blitzkrieg não em Donetsk, mas na Praça Vermelha em Moscou", anunciou Taras Chernovol ao canal ZIK.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o deputado da Crimeia Stepan Kiskin sublinhou que a opinião de Chernovol é apoiada por outros políticos ucranianos. Assim, Yulia Timoshenko, a líder do partido Batkivschina (Pátria), apelou a bombardear Donbass com armas nucleares.

"Não há pessoas normais nas autoridades [da Ucrânia], eles todos enlouqueceram, a julgar por estas afirmações. A ideologia de Bandera devora a Ucrânia, como se fosse um câncer", comentou Kiskin, acrescentando que isso levará ao desmembramento do país ou uma revolta.

"É um verdadeiro fascismo que não pode viver sem provocações, sem guerra, violência", concluiu o político.

Anteriormente o deputado ucraniano Igor Mosiichuk disse que a Rússia poderá enfrentar a ocupação pela Ucrânia. Segundo a sua opinião, no Dia da Unidade em 4 de novembro a Rússia celebra a libertação não das forças de ocupação polonesas, mas dos "cossacos ucranianos".

As eleições dos dirigentes e deputados nas autoproclamadas repúblicas de Donetsk e de Lugansk decorreram em 11 de novembro. Kiev anunciou que não as reconhecia.

De acordo com o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, as eleições em Donbass não contradizem os Acordos de Minsk.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas