Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Forças russas possuem 30 vezes mais mísseis de cruzeiro do que 6 anos atrás

O número de mísseis de cruzeiro à disposição do Exército russo aumentou 30 vezes nos últimos seis anos, relatou o jornal das Forças Armadas russas, Krasnaya Zvezda.


Sputnik

Além disso, a quantidade de portadores de baseamento terrestre, marítimo e aéreo cresceu mais de 12 vezes, diz a matéria do jornal.


Lançamento de mísseis de cruzeiro russos dos navios da Frota do Mar Cáspio para atacar as posições do Estado Islâmico na Síria
Lançamento de míssil de cruzeiro russo © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

O aumento se deve antes de tudo à entrega de sistemas de mísseis tático-operacionais Iskander-M, bem como de navios e submarinos equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr.

A mídia também informou que o país está terminando o desenvolvimento de drones capazes de alcançar qualquer destino na Europa continental, se decolarem da região de Kaliningrado (parte mais ocidental da Rússia) ou de voar até o Canadá se partirem do distrito autônomo de Chukotka, no Extremo Oriente do país.

"Estamos terminando o desenvolvimento de sistemas inovadores capazes de efetuar tarefas a uma distância de até três mil quilômetros", diz o artigo.

Segundo informações, a Rússia criou nos últimos seis anos quase 40 unidades militares especializadas em veículos aéreos não tripulados, que receberam mais de 1,8 mil drones capazes de realizar operações de reconhecimento a distâncias de até 500 quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas