Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Mídia aponta países interessados em comprar S-400 russos apesar das sanções americanas

Ao menos 13 países estão interessados em adquirir os sistemas de defesa antiaérea russos S-400 em vez de plataformas estadunidenses, apesar da ameaça das sanções por parte dos EUA, comunicou o canal CNBC, citando fontes próximas à inteligência norte-americana.


Sputnik

Um dos interlocutores do canal, que pediu anonimato, afirmou que entre os países que já expressaram seu interesse nos sistemas russos estão a Arábia Saudita, Qatar, Argélia, Marrocos, Egito, Vietnã e Iraque. Mas, sublinha o artigo, Washington espera que alguns países acabem por desistir sob a pressão diplomática.


Complexo de sistema S-400 (foto de arquivo)
S-400 Triumph © Sputnik / Sergei Malgavko

Conforme a lei CAATSA (Lei de Contenção de Adversários da América Através de Sanções), os EUA podem sancionar os países que comprem armamentos russos, em especial os sistemas S-300 e S-400.

Respondendo à pergunta por que os países preferem os S-400 russos aos sistemas americanos THAAD ou Patriot, a fonte do canal sublinhou que muitos países não estão dispostos a seguir com o complexo processo de compra de armas ao governo dos EUA.

"Muitos destes países não querem esperar pelos obstáculos regulatórios dos EUA. O S-400 tem menos restrições de exportação", explicou o interlocutor da mídia.

Além disso, as armas russas são geralmente consideradas menos caras do que as americanas.

A China, Índia e Turquia já firmaram acordos de compra dos sistemas S-400 com o Kremlin. A China, envolvida na guerra comercial com os EUA, está em vias de receber a última remessa do sistema russo. A Índia assinou o contrato com Moscou no mês passado. A Turquia deverá receber os sistemas russos no próximo ano.

Os S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) são a nova geração russa de sistemas de defesa aérea. O sistema pode carregar três tipos diferentes de mísseis, capazes de destruir uma variedade de alvos aéreos, desde aeronaves de reconhecimento a mísseis balísticos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas