Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Mídia destaca sucesso da Rússia em combater armas 'mortíferas' dos EUA

A Rússia está tendo cada vez mais sucesso em combater veículos aéreos não tripulados inimigos, o que pode causar sérias dificuldades para os EUA, que colocam a maior ênfase no uso ativo de drones, escreve a The National Interest.


Sputnik

Para exemplificar, a revista norte-americana cita os exercícios na região russa de Leningrado, durante os quais os avançados sistemas de guerra eletrônica Silok detectaram veículos aéreos não tripulados. 



Embora o Exército russo utilize os meios de supressão eletrônica há muito tempo, apenas em outubro de 2017 foi apresentado o primeiro sistema terrestre, cujo principal objetivo é desativar e neutralizar drones inimigos, observa a The National Interest.

O crescente número de sistemas de guerra eletrônica e o profissionalismo dos militares russos são uma ameaça para a frota norte-americana de veículos não tripulados, destaca a revista. Em particular, o autor do artigo afirma que, em 2011, o Irã usou o sistema Avtobaz, desenvolvido na Rússia, para interceptar o drone RQ-170 da Força Aérea dos EUA.

Segundo a The National Interest, os veículos aéreos não tripulados norte-americanos têm melhorado suas características de autonomia devido ao avanço tecnológico. No entanto, eles não poderão permanecer sem comunicação de rádio necessária para a transmissão de dados. E este é o ponto mais fraco que a Rússia pode usar a seu favor, conclui a revista.

Anteriormente, neste ano foi informado que a Rússia recebeu os primeiros sistemas avançados de guerra eletrônica Silok, projetados para detecção de veículos aéreos não tripulados em modo automático e determinação de suas coordenadas. O sistema suprime os canais de controle, telemetria e comunicação dos drones adversários. O consórcio Sozvezdie é o principal desenvolvedor e fabricante russo de sistemas de guerra eletrônica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas