Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Número de feridos no ataque químico em Aleppo sobe para 107 (VÍDEO)

De acordo com a mídia estatal síria, já são 107 os civis que ficaram feridos na sequência de um ataque terrorista com uso de cloro na cidade síria de Aleppo.


Sputnik

Segundo comunica a agência SANA, entre os feridos estão mulheres e crianças. Em geral, sua condição é estimada como de gravidade ligeira e média, mas alguns pacientes precisaram ser internados em seções de terapia intensiva.


Vítima de um ataque químico em Aleppo, realizado em 24 de novembro de 2018
Vítima de ataque químico em Aleppo, Síria © AP Photo / SANA

Os agrupamentos terroristas da zona de desescalada em Idlib atacaram os bairros noroeste de Aleppo, disparando munições de morteiro de 120 mm alegadamente carregadas com cloro.

Os especialistas em armas químicas russos se deslocaram imediatamente aos bairros atacados e, com a ajuda de equipamentos especiais, já estão acompanhando as pessoas hospitalizadas e monitorizando a situação.

Recentemente, o representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, Igor Konashenkov, relembrou que a parte russa havia chamado atenção do público internacional para as tentativas dos Capacetes Brancos de organizarem provocações com substâncias tóxicas na zona desmilitarizada de Idlib, para depois alegadamente culparem o governo sírio pelos ataques.


Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas