Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Palestinos denunciam que Israel deteve mais de 900 menores em 2018

As autoridades de Israel detiveram neste ano mais de 900 menores palestinos, denunciou nesta terça-feira a Sociedade de Prisioneiros Palestinos por ocasião da celebração do Dia Universal da Criança.


EFE

Jerusalém - Desde janeiro e até o final de outubro, 908 menores foram detidos e 270 permanecem em centros de detenção israelenses, denunciou a organização palestina, que chamou a atenção sobre as condições das detenções, informou a agência oficial palestina "Wafa".


Menor palestino é detido por soldado israelense em foto de 2017. EFE/ Alaa Badarneh
Menor palestino é detido por soldado israelense em foto de 2017. EFE/ Alaa Badarneh

Segundo a Sociedade de Prisioneiros, em algumas ocasiões as crianças são detidas em suas casas durante a madrugada e em alguns casos forçadas a confessar ou a assinar documentos em hebraico que não compreendem.

A organização afirma também que os menores presos não recebem educação e que a muitos deles são negadas visitas de familiares e atendimento médico.

A Sociedade de Prisioneiros acusa Israel de ter aprovado uma série de leis desde 2015 que permitem deter e processar palestinos de 14 anos e endurecer as penas de prisão por lançamento de pedras.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas