Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Reino Unido vai dobrar frota de caças F-35 tendo encomendado mais 17 aviões

O Reino Unido vai dobrar sua frota de caças americanos F-35 tendo encomendando mais 17 dessas aeronaves, comunicou o secretário de Defesa britânico, Gavin Williamson.


Sputnik

"Estou feliz por confirmar que estamos dobrando o número da nossa força de F-35 para uma frota formidável de 35 caças furtivos. Esta é mais uma grande encomenda no maior programa de defesa na história", disse o ministro.


Caça F-35
F-35 Lightning II | CC0 / Pixabay

Os 17 novos aparelhos deverão ser entregues entre 2020 e 2022. Os aviões se juntarão aos 16 caças F-35 britânicos atualmente posicionados na base da Força Aérea Real de Marham e nos EUA. Antes, Londres já acordou a compra de dois caças F-35.

Williamson sublinhou que as Forças Armadas e a indústria desempenham um papel-chave no programa do F-35 e que o país está "agora construindo essa capacidade de poder mudar o jogo e que em breve estará pronta para ação na linha de frente".

As autoridades informaram que durante a vida do programa o Reino Unido comprará 138 aviões, feitos pela companhia americana Lockheed Martin, e no qual a empresa britânica BAE Systems também é parte contratada.

O Reino Unido não é o único país que decidiu aumentar sua frota de F-35. No mês passado, o primeiro-ministro belga Charles Michel anunciou oficialmente que o país optou pelos caças estadunidenses para reequipar sua Força Aérea e planeja comprar 34 aviões F-35.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas