Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Tenente do Exército morto em tentativa de assalto é enterrado sob comoção no interior do RJ

Militar foi baleado no fim de semana na BR-101, em São Gonçalo. Homens do exército acompanharam o cortejo nesta segunda (5) em Rio das Ostras.


Por G1 — Região dos Lagos

O corpo do 2° Tenente do Exército Ezenilton Mudesto Silva, morto em uma tentativa de assalto na manhã de domingo (4) na BR-101, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, foi enterrado sob forte comoção no Cemitério do Âncora, em Rio das Ostras, no interior do estado, nesta segunda-feira (5).

Tenente do Exército morto no RJ era atleta e já carregou a tocha olímpica — Foto: Reprodução | Inter TV
Tenente do Exército morto no RJ era atleta e já carregou a tocha olímpica — Foto: Reprodução | Inter TV

Companheiros do Exército, parentes e amigos acompanharam o velório que começou por volta das 14h.

Amigos e parentes ainda tentavam entender o que aconteceu.

"Não dá pra entender... ele era uma grande pessoa, um grande atleta. Um exemplo a ser seguido", disse Vera Mota, atleta e amiga do militar.

Ezenilton era bahiano, tinha 59 anos e escolheu Rio das Ostras para morar. Ele era apaixonado por corridas de rua e participou de provas no Brasil e no exterior, além de ter carregado a tocha olímpica em 2016.

De acordo com amigos, Ezenilton tinha ido a um encontro de militares da reserva no fim de semana, em Curitiba, no Paraná. Ele resolveu antecipar a volta para casa justamente para não passar pelo trecho da BR-101, em São Gonçalo, durante a noite.

"Ele tinha muito receio dessa situação [violência]. Ele tava retornando no domingo pela manhã, abriu mão de um convívio maior com os amigos porque estava preocupado com a segurança e não queria chegar no Rio à noite", contou Francisco Racine colega de trabalho e amigo de Ezenilton.

Francisco também falou sobre como era o convívio com o militar.

"Eu conheço o Ezenilton há 35 anos. Ele tinha uma vitalidade e um amor pela vida muito grande", completou o amigo.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o militar estava no carro quando foi abordado por dois homens que estavam em uma moto. Eles fizeram os disparos e fugiram. O carro de Ezenilton tem as marcas de tiros na porta e o vidro estilhaçado.

De acordo com informações da Delegacia de Homicídios de Niterói São Gonçalo e Itaboraí, as diligências estão em andamento para apurar as circunstâncias da morte do tenente do Exército.

Em nota, o Comando Militar do Leste lamentou a morte do militar que estava na reserva.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas