Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Ucrânia aprova lei marcial após impasse com a Rússia

Decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas.


Reuters

O Parlamento da Ucrânia aprovou, na tarde desta segunda-feira (26), a proposta do presidente Petro Poroshenko para introduzir a lei marcial nas partes mais vulneráveis do país a um possível ataque da Rússia. A medida terá validade por 30 dias.

Russia bloqueia passagem sob a ponte de Kerch.  — Foto: ASSOCIATED PRESS
Russia bloqueia passagem sob a ponte de Kerch. — Foto: ASSOCIATED PRESS

No país, essa lei permite uma série de restrições, incluindo limitações de movimentação e assembleia pacífica, toques de recolher e restrições à mídia, embora o decreto de Poroshenko não faça referência específica a tais medidas.

A decisão acontece um dia depois que a Rússia alvejou e capturou três embarcações ucranianas, aumentando acentuadamente as tensões entre os dois países.

Poroshenko afirmou que a captura dos navios foram uma “nova etapa da agressão russa”.

Na mesma sessão, o Parlamento da Ucrânia confirmou as eleições presidenciais para 31 de março.

Decreto

Onze medidas listadas no decreto prevêem a mobilização de forças da reserva, a organização da defesa aérea de importantes instalações estatais e a adoção de passos urgentes para aplicar medidas de cibersegurança e garantir a ordem pública.

O decreto não menciona a eleição presidencial marcada para março. A decisão do presidente tem levantado especulação de críticos e opositores de que ele pode usar a lei marcial para adiar a votação.

A décima segunda medida do decreto não foi publicada.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas