Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Ucrânia exige que Rússia devolva navios detidos e pede ajuda militar a aliados

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia divulgou nota nesta segunda-feira (26) exigindo que Moscou devolva a Kiev os marinheiros detidos juntos com os navios apreendidos no domingo (25).


Sputnik

Mais cedo, o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) informou que os navios Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, da Marinha da Ucrânia, foram detidos por violarem o espaço marítimo russo.


Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko
Presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko © AP Photo / Mindaugas Kulbis

"A Ucrânia exige assistência médica urgente para os feridos e a garantia de seu retorno imediato e seguro para casa. A Ucrânia também exige que os navios apreendidos da Marinha retornem e que os danos causados sejam compensados", disse o ministério através do comunicado.

Kiev também pediu aos seus aliados que forneçam assistência militar.

"A Ucrânia pede aos seus aliados e parceiros que tomem todas as medidas necessárias para dissuadir o agressor, aplicando novas sanções e fortalecendo as já existentes, assim como fornecendo à Ucrânia assistência militar para proteger a sua integridade territorial e soberania dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas", acrescentou o comunicado.

Um porta-voz da Diretoria de Fronteiras do FSB para a Crimeia, Anton Lozovoy, disse mais cedo que os navios apreendidos estavam sendo levados para o porto de Kerch e que três soldados ucranianos levemente feridos receberam assistência médica.

Os navios ucranianos que foram apreendidos não teriam respondido às exigências legais feitas pelos navios russos que os abordaram, além de terem realizado manobras perigosas, segundo o FSB. Também foi aberto um caso criminal para investigar a violação da fronteira do Estado da Rússia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas