Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Ucrânia exige que Rússia devolva navios detidos e pede ajuda militar a aliados

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia divulgou nota nesta segunda-feira (26) exigindo que Moscou devolva a Kiev os marinheiros detidos juntos com os navios apreendidos no domingo (25).


Sputnik

Mais cedo, o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) informou que os navios Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, da Marinha da Ucrânia, foram detidos por violarem o espaço marítimo russo.


Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko
Presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko © AP Photo / Mindaugas Kulbis

"A Ucrânia exige assistência médica urgente para os feridos e a garantia de seu retorno imediato e seguro para casa. A Ucrânia também exige que os navios apreendidos da Marinha retornem e que os danos causados sejam compensados", disse o ministério através do comunicado.

Kiev também pediu aos seus aliados que forneçam assistência militar.

"A Ucrânia pede aos seus aliados e parceiros que tomem todas as medidas necessárias para dissuadir o agressor, aplicando novas sanções e fortalecendo as já existentes, assim como fornecendo à Ucrânia assistência militar para proteger a sua integridade territorial e soberania dentro das fronteiras internacionalmente reconhecidas", acrescentou o comunicado.

Um porta-voz da Diretoria de Fronteiras do FSB para a Crimeia, Anton Lozovoy, disse mais cedo que os navios apreendidos estavam sendo levados para o porto de Kerch e que três soldados ucranianos levemente feridos receberam assistência médica.

Os navios ucranianos que foram apreendidos não teriam respondido às exigências legais feitas pelos navios russos que os abordaram, além de terem realizado manobras perigosas, segundo o FSB. Também foi aberto um caso criminal para investigar a violação da fronteira do Estado da Rússia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas