Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Ucrânia quer comprar armas diretamente dos EUA

O governo ucraniano está preparando mudanças legislativas para anular intermediários e realizar compras diretas de armamento dos norte-americanos, disse Valeriy Chaly, embaixador da Ucrânia nos Estados Unidos.


Sputnik

Chaly lembrou que na sexta-feira (16), em Washington, decorrerá uma reunião da comissão de parceria estratégica entre a Ucrânia e os EUA na qual serão discutidas questões de cooperação técnico-militar e as ameaças cibernéticas com participação de representantes de ambos os países.


As Forças Armadas da Ucrânia receberam radares norte-americanos de detecção antiartilharia, 14 de novembro de 2015
Militares ucranianos recebendo radares dos EUA © Sputnik / Mikhail Markiv

"Estamos trabalhando agora para garantir que as mudanças na legislação ucraniana permitam a compra direta de armas e equipamentos militares sem intermediários. Essas mudanças podem abrir novas oportunidades para nossa interação com os Estados Unidos", disse o embaixador ucraniano à agência de notícias Ukrinform.

Ao mesmo tempo, ele ressaltou que os EUA também estão interessados em vender armas à Ucrânia.

"Hoje a posição da Casa Branca e de outras estruturas dos EUA é a seguinte: quanto mais armas a Ucrânia comprar dos EUA, mais ajuda direta receberá. Em outras palavras, esses são processos relacionados, e acho conveniente para nós seguir precisamente esse caminho", frisou.

"Há tipos de armas que nós precisamos realmente, mas não as fabricamos, elas existem nos Estados Unidos. Estamos trabalhando nisso. Cada transação e acordo inclui um período preparatório, então acho que veremos o resultado até o início do próximo ano", adicionou Chaly.

Em 2018, a Ucrânia recebeu mais de US$ 40 milhões (R$ 151,3 milhões) em armas letais e outros equipamentos militares dos EUA, Lituânia, Reino Unido e Canadá.

A Rússia alertou reiteradamente sobre os planos para fornecimento de armas à Ucrânia, uma vez que essa medida acarretará uma escalada do conflito em Donbass. A maioria dos políticos europeus se posicionaram contra esses fornecimentos de armas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas