Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Almirante russo adverte Marinha dos EUA contra provocações no mar Negro

Os navios da Marinha dos EUA têm o direito de entrar no mar Negro, mas a Rússia não deixará sem resposta possíveis provocações relacionadas à violação de suas águas territoriais, disse à Sputnik na quinta-feira (6) o almirante russo Vladimir Komoedov, que comandou a Frota do Mar Negro de 1998 a 2002.


Sputnik

Há pouco, a CNN afirmou que os EUA estão se preparando para enviar um de seus navios de guerra para o mar Negro, depois do incidente no estreito de Kerch. O comando da Marinha estadunidense teria enviado uma informação ao Congresso a fim de notificar a Turquia dos seus planos. Ainda segundo o canal de mídia, essa medida poderia aumentar as tensões entre os Estados Unidos e a Rússia.


Manobras navais internacionais Sea Breeze 2017 organizados pelos EUA e Ucrânia no mar Negro (imagem referencial)
Navios dos EUA e Ucrânia no Mar Negro © AFP 2018/ ALEXEY KRAVTSOV / AFP

"Ninguém proíbe os navios dos EUA de navegarem no mar Negro, de acordo com a Convenção de Montreux, eles podem ficar lá por até 21 dias, então não está claro para o que é que os americanos estão se preparando — eles têm muito perto, no Mediterrâneo, a sua sexta frota. Não se entende de que modo EUA pretendem apoiar a Ucrânia, talvez seja apenas mais uma declaração política" — disse Komoedov.

Ao mesmo tempo, o almirante observou que a Rússia não deixaria sem resposta possíveis provocações da Marinha dos EUA e retaliaria se um navio americano entrasse ilegalmente nas águas territoriais da Rússia.

"No entanto, se eles entrarem em nossas águas territoriais, ou seja, se violarem as fronteiras nacionais, serão punidos. Então, eles que fortaleçam suas armas para que nem tudo seja destruído" — adicionou o almirante.

Na terça-feira (27), um tribunal russo ordenou a prisão preventiva de 15 dos 24 marinheiros ucranianos detidos pela guarda fronteiriça russa. Na segunda-feira (26), o parlamento ucraniano aprovou a introdução da lei marcial em algumas regiões do país por 30 dias.

No dia 25 de novembro, três navios da Marinha Ucraniana (Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu), juntamente com suas tripulações, foram detidos por violarem a fronteira nacional da Rússia, infringindo os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre o direito marítimo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas