Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Austrália vai reconhecer Jerusalém como capital de Israel, mas não mudará embaixada

Mesmo sem transferir embaixada, governo australiano alinha posicionamento com Israel e Estados Unidos.


Por G1

A Austrália vai reconhecer formalmente Jerusalém como capital de Israel. Atualmente, o governo australiano reconhece Tel Aviv como principal cidade israelense. A mudança deve ser oficialmente anunciada nesta quarta-feira (12).

Scott Morrison fala na cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Port Moresby, em Papua-Nova Guiné — Foto: Fazry Ismail/Pool via Reuters
Scott Morrison fala na cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) em Port Moresby, em Papua-Nova Guiné — Foto: Fazry Ismail/Pool via Reuters

Entretanto, o governo do primeiro-ministro Scott Morrison negou que vá mover a embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, ao menos por enquanto. Em vez disso, a Austrália terá um consulado na cidade disputada por israelenses e palestinos.

Segundo uma fonte ouvida pela rede de televisão australiana SBS, a mudança de sede custaria 200 milhões de dólares australianos.

A ideia havia sido criticada pelo ex-premiê Malcolm Turnbull, antecessor de Morrison. Isso porque a transferência poderia gerar um atrito com a Indonésia, país asiático próximo à Austrália com a maior população muçulmana do mundo.

O presidente indonésio, Joko Widodo, alertou em outubro sobre "sérias preocupações" caso a mudança de embaixada realmente ocorresse.

De Tel Aviv a Jerusalém

Mesmo sem mudar a embaixada, a Austrália se junta aos países que vêm se aproximando de Israel ao reconhecer Jerusalém como a capital.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu Jerusalém capital de Israel em dezembro de 2017. Cinco meses depois, a embaixada norte-americana foi transferida para lá. No mesmo mês, a Guatemala também inaugurou a representação do país na cidade disputada.

No Brasil, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que pretende transferir a embaixada brasileira em Israel para Jerusalém. Em novembro, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) confirmou a intenção do novo governo de mudar o endereço da embaixada.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas