Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Chancelaria chinesa convoca embaixador dos EUA por detenção de executiva da Huawei

O Ministério das Relações Exteriores da China convocou no domingo (9) o embaixador dos EUA na China, Terry Branstad, para apresentar "um forte protesto" devido à detenção de Meng Wanzhou, diretora financeira e vice-presidente da empresa de telecomunicações chinesa Huawei Technologies.


Sputnik

Além disso, o ministério declarou que Washington deveria retirar seu mandado de prisão. As medidas adicionais dependerão das ações dos EUA, informou o vice-ministro das Relações Exteriores da China, Le Yuchen, citado pela agência Reuters.


Logo da Huawei
© REUTERS / Aly Song

Em 8 de dezembro, a chancelaria chinesa convocou também o embaixador canadense em Pequim, John McCallum, como forma de protesto contra a detenção de Meng Wanzhou.

A executiva da Huawei foi detida em 1º de dezembro em Vancouver por suspeita de violação das sanções comerciais dos EUA contra o Irã. Washington solicita sua extradição para os EUA.

A Huawei Technologies afirmou não ter conhecimento de nenhum delito cometido por Wanzhou, acrescentando que a empresa "cumpre com todas as leis e regulamentos aplicáveis nos países em que opera, incluindo o controlo e as sanções de exportações".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas