Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Chancelaria russa: informações sobre presença de armas nucleares na Crimeia são falsas

As informações sobre a presença de armas nucleares na península da Crimeia são ficções e notícias falsas, afirma o Ministério das Relações Exteriores da Rússia.


Sputnik

No decurso de briefing realizado na quinta-feira (13), a representante oficial da Chancelaria russa, Maria Zakharova, comentou o artigo do britânico Julian King, comissário europeu para a Segurança, recentemente publicado no jornal The Guardian em relação à situação no estreito de Kerch. Segundo escreve o diplomata, a Rússia estava se preparando para "capturar navios no mar de Azov", e para isso divulgava acusações falsas relativamente à Ucrânia, inclusive acusando-a de tentar contaminar mar com cólera e implantar bombas nucleares na Crimeia.


Crimeia, Rússia. Vista de Yalta a partir do mar Negro
Crimeia © Sputnik / Sergei Malgavko

"Quanto às ficções sobre 'bombas nucleares na Crimeia', vamos deixá-las na consciência de [Julian] King que, aparentemente, está muito preocupado com sua próxima despedida da UE e do seu cargo atual. É difícil perceber por que uma pessoa divulga tais notícias falsas", destacou.

Recentemente, o chanceler ucraniano, Pavel Klimkin, também declarou que a Rússia poderia ter instalado armas nucleares na península da Crimeia ou, pelo menos, ter desenvolvido uma infraestrutura especial para esse tipo de armas. Na opinião dele, expressa ao canal ATR, a Rússia já transformou a Crimeia em uma enorme base militar.

Em 25 de novembro, a fronteira russa foi violada por três navios da Marinha ucraniana, que foram detidos, juntamente com seus 24 tripulantes, por não respeitarem as exigências legítimas das autoridades russas.

O incidente no estreito de Kerch foi classificado como uma provocação pelo presidente russo, Vladimir Putin, pois entre os membros da tripulação dos navios ucranianos havia dois agentes dos serviços secretos da Ucrânia. Segundo o líder russo, a ação hostil ucraniana no mar Negro está associada a uma baixa popularidade do presidente da Ucrânia em vésperas das eleições.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas