Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Chancelaria turca nega ter proposto aos EUA examinarem S-400 russos

O Ministério do Exterior da Turquia nega que Ancara tenha alegadamente proposto a Washington que os EUA examinassem os complexos russos S-400 e assegura que as informações secretas ligadas aos caças americanos F-35 não serão divulgadas.


Sputnik

Previamente a agência Bloomberg, citando fontes próximas das negociações entre os EUA e a Turquia sobre a compra dos sistemas russos, relatou que Ancara alegadamente propôs aos especialistas técnicos dos EUA examinarem os sistemas S-400 depois de sua compra à Rússia.


Sistema de defesa antiaérea S-400
S-400 Triumph © Sputnik / Grigory Sysoev

"No decurso dos contatos bilaterais, a parte norte-americana foi informada de que os S-400 serão usados independentemente dos sistemas da OTAN e de maneira que não prejudicará os caças F-35 [estadunidenses] e que as informações vulneráveis sobre eles não serão reveladas", destacou uma fonte na Chancelaria turca, comentando uma alegada proposta feita a Washington.

"Para alcançar esse objetivo foram tomadas medidas adequadas, e nossos especialistas técnicos podem participar das negociações bilaterais", destacou

A Turquia é um parceiro importante dos EUA no âmbito do programa de produção de caças F-35, já que peças de reposição para esses aviões deveriam ser produzidas por dez companhias turcas, segundo previamente informou a Bloomberg. Porém, as autoridades norte-americanas recearam que se a Turquia tivesse caças F-35 e sistemas S-400, os computadores russos poderiam teoricamente transmitir à Rússia dados importantíssimos sobre o avião.

Agora os EUA deram um novo passo para obrigar a Turquia a rejeitar os sistemas S-400. Eles propuseram à parte turca os seus sistemas de mísseis Patriot com equipamentos no valor de 3,5 bilhões de dólares. Além disso, anteriormente a administração do presidente dos EUA convenceu os adversários da venda à Turquia dos sistemas norte-americanos no Congresso, declarando que, se a Turquia comprasse os S-400, seriam introduzidas sanções contra Ancara.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas