Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA vão suspender Tratado INF se Rússia não cumprir acordo, diz vice-secretário de Estado

Os EUA vão suspender suas obrigações no Tratado INF, que trata a respeito armas nucleares de médio alcance, no dia 2 de fevereiro se a Rússia não apresentar provas de que está cumprindo o acordo, disse o vice-secretário de Estado.
Sputnik

Em outubro, o presidente dos EUA anunciou que seu país abandonaria o Tratado INF, assinado pelos Estados Unidos e pela União Soviética em 1987.


Trump argumentou que Moscou estava desenvolvendo mísseis que violam esse pacto.

Em 4 de dezembro, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que Washington suspenderia sua adesão ao INF no prazo de 60 dias se a Rússia não voltasse a cumprir suas obrigações.

No entanto, a Rússia nega categoricamente todas as acusações. O líder russo, Vladimir Putin, declarou que Moscou se opõe à violação do Tratado INF, mas responderá se isso acontecer.

China oferece ao mercado míssil balístico antinavio supersônico

A China está promovendo um míssil balístico ultra-rápido, considerado o primeiro de seu tipo no mercado internacional, para compradores que buscam uma dissuasão confiável e acessível contra as ameaças do mar.


Poder Naval

A China Aerospace Science and Industry Corp (CASIC), a maior fabricante de mísseis do país, lançou o míssil balístico antinavio supersônico CM-401, dizendo que é capaz de fazer ataques rápidos e precisos contra embarcações de médio ou grande porte, ou contra alvos em terra.

Míssil balístico antinavio supersônico CM-401 e seu lançador
Míssil balístico antinavio supersônico CM-401 e seu lançador

Ela disse que a arma usa uma “trajetória quase espacial”, o que significa que voa entre 20 e 100 quilômetros acima da Terra, e que manobra em velocidades hipersônicas durante o voo.

O míssil ascenderá a uma certa altitude até que seu alvo seja adquirido. Em seguida, ele entrará em um mergulho terminal ultra-rápido em direção ao alvo, de acordo com a CASIC.

A empresa disse que o CM-401 possui forte poder destrutivo, boa capacidade de penetração e um mix de trajetórias. Acrescentou que o míssil pode ser montado em várias plataformas, como navios ou veículos de lançamento terrestres.

De acordo com a CASIC, o míssil voa a uma velocidade média de 1.360 metros por segundo – 4.900 quilômetros por hora – ou quatro vezes a velocidade do som, durante a maior parte do voo, e atinge uma velocidade máxima de mais de 2.000 m/s, seis vezes a velocidade do som quando se aproxima do alvo. Ele pode carregar uma ogiva de 290 quilos e tem um alcance máximo de ataque de 290 km e uma taxa de acerto de 90%, o que significa que haverá nove ataques efetivos no alvo em 10 tiros.

O conglomerado de defesa estatal tornou público o sistema de mísseis na 12ª Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China, realizada recentemente em Zhuhai, província de Guangdong.

Enquanto isso, a China Academy of Launch Vehicle Technology, maior fabricante de foguetes do país, recentemente ofereceu seu míssil balístico antinavio M20B ao mercado internacional.

O M20B também apresenta velocidade supersônica e uma trajetória manobrável. Carregando uma ogiva de 480 kg, o míssil pode atingir um navio de 120 km a 280 km de distância. É adequado para ataques rápidos e precisos contra fragatas e destróieres, disse a academia.

Antes dos CM-401 e M20B, todos os mísseis antinavios disponíveis no mercado internacional eram modelos “sea skimmer” (roça ondas), como os C-802 e CM-302 da China e o Harpoon dos Estados Unidos.

A China é o único país que atualmente atua em mísseis balísticos antinavio. Seus DF-21D e DF-26 são chamados de “trunfos” na guerra naval pelos militares chineses, mas não são permitidos para exportação por causa do alcance de mais de 1.000 km – excedendo as restrições à exportação de mísseis definidas pelo governo chinês.

Wu Peixin, um observador da indústria de defesa em Pequim, disse que os mísseis balísticos antinavio ultra rápidos como o CM-401 podem potencialmente ser revolucionário nas operações navais modernas porque é um alvo muito difícil de interceptar pelos radares de defesa aérea e armas dos navios, devido às suas trajetórias únicas e velocidades hipersônicas. Portanto, os usuários serão capazes de impedir efetivamente que as embarcações de um inimigo, especialmente os porta-aviões, se aproximem da costa, disse Wu.

FONTE: China Daily

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas