Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Decisão de Trump sobre a Síria é definitiva, diz Casa Branca

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não mudará sua decisão sobre retirar as tropas norte-americanas da Síria, apesar da renúncia do secretário de defesa e oficiais de alto escalão, disse neste domingo (23) Mick Mulvaney, chefe de gabinete em exercício na Casa Branca.


Sputnik

"Não, eu acho que o presidente disse às pessoas desde o começo que ele não quer que fiquemos na Síria para sempre. Você está vendo o resultado final agora de dois anos de trabalho. Lembre-se, não é incomum um presidente perder membros do gabinete por causa desses tipos de desentendimentos", disse Mulvany à emissora ABC News quando perguntado se o presidente poderia reverter a decisão.

Presidente dos EUA, Donald Trump
Donald Trump © Sputnik / Serguey Guneev

Na quinta-feira (20), o secretário de Defesa Jim Mattis, em uma carta de renúncia, disse que deixaria o cargo no final de fevereiro, citando o fato de que Trump precisava encontrar um chefe de Defesa cujas opiniões estivessem com opiniões mais próximas às dele mesmo.

A renúncia de Mattis veio um dia após a Casa Branca ter dito que os Estados Unidos estavam retirando tropas da Síria, planos que o chefe de defesa deixou anteriormente como um "erro estratégico".

A mudança inesperada para a saída da Síria tem sido amplamente criticada por muitos legisladores dos EUA, que argumentaram que a medida prejudicaria a segurança dos EUA e doaria a região à Rússia, Irã e Síria.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas