Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Especialista revela vantagem do submarino russo da 4ª geração perante análogo americano

O submarino estratégico do projeto 955 Borei é duas vezes mais silencioso que o submarino polivalente nuclear da classe Virgínia dos EUA, declarou Aleksandr Blagov, diretor do Instituto Kurchatov, que participou do desenvolvimento do navio russo.


Sputnik


O primeiro submarinho da classe Virgínia foi entregue à Marinha dos EUA em 2004, enquanto a Marinha russa recebeu o Borei em 2013.


Submarino nuclear russo de classe Borei (foto de arquivo)
Submarino nuclear russo Classe Borei © Sputnik / Sevmash

"O submarino nuclear de quarta geração Borei é duas vezes mais silencioso que o Virgínia norte-americano", revelou Blagov, sublinhando que foram realizados esforços consideráveis para aumentar a furtividade do submarino.

Os submarinos nucleares russos de quarta geração do projeto Borei e Borei-A, equipados com mísseis balísticos intercontinentais R-30 Bulava, deverão ser o elemento principal do componente naval estratégico russo nas próximas décadas.

O Borei tem 170 metros de cumprimento, 13,5 metros de largura e seu o deslocamento é de 24 mil toneladas. Estes submarinos podem ser equipados com 16 mísseis balísticos intercontinentais R-30 Bulava.

A mídia já qualificou os navios do projeto 955 Borei como um "pesadelo" para os EUA e declarou que os novos submarinos russos são os mais temíveis em todo o mundo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas