Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

EUA enviam porta-aviões ao golfo Pérsico para demonstrar força ao Irã, relata mídia

Nos próximos dias, um grupo de navios da Marinha norte-americana irá entrar no golfo Pérsico com o propósito de demonstrar força ao Irã, comunica o jornal The Wall Street Journal, citando fontes do Pentágono.


Sputnik

Segundo dados do WSJ, o porta-aviões estadunidense John C. Stennis junto com um grupo de navios da Marinha dos EUA entrarão nas águas do Oriente Médio no fim dessa semana.


USS John C. Stennis (CVN-74), um super-porta-aviões de propulsão nuclear norte-americano da classe Nimitz
Porta-aviões norte-americano USS John C. Stennis CVN-74 | CC BY 2.0 / Frota do Pacífico da Marinha dos EUA

Sua entrada no golfo Pérsico será a primeira operação desse tipo nos últimos oito meses, destaca a mídia, adicionando que a manobra da Marinha estadunidense tem como objetivo a demonstração de poder naval do país ao Irã.

Segundo comunicam as fontes no Departamento de Defesa dos EUA, o porta-aviões John C. Stennis provavelmente ficará por cerca de dois meses no Oriente Médio. Prevê-se que durante a maior parte desse período, o navio permanecerá no golfo Pérsico.

Além disso, os representantes da entidade militar norte-americana indicam que a presença do porta-aviões nessas águas "sem dúvida fornece contenção" em relação a qualquer atividade potencialmente hostil do lado iraniano nas águas dessa região.

Em 29 de novembro, a Marinha do Irã incorporou dois novos minissubmarinos da classe Ghadir, capazes de lançar mísseis de posição submersa contra alvos de superfície. Supõe-se que os submergíveis percorram as águas do golfo Pérsico com o objetivo de "garantir a paz e a segurança".

O Irã, que nos últimos anos tem reforçando significativamente seu potencial militar, obtendo autossuficiência na esfera da produção de equipamento militar importante, insiste que suas medidas militares não ameaçam outros países e estão baseadas na doutrina de dissuasão.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas