Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

EUA planejam reiniciar programa de modernização das ogivas termonucleares W78

A Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA (NNSA) planeja reiniciar o programa de substituição de ogivas termonucleares W78. O programa será realizado entre 2019 e 2041 e vai custar 10-15 bilhões de dólares (R$ 40-58 bilhões).


Sputnik

A ogiva termonuclear W78 é uma das duas ogivas que equipam os mísseis balísticos intercontinentais Minuteman-III da Força Aérea dos EUA. 


Lançamento de míssil balístico Minuteman III
Lançamento do ICBM Minuteman III © AP Photo / Vandenberg Air Force Base

Pentágono também está considerando a utilização das ogivas W78 nos mísseis balísticos instalados em submarinos.

Segundo o relatório, citado pelo canal de televisão russo RT, a NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA tentaram modernizar as W78 durante dez anos, mas em 2014 o programa foi suspenso.

De acordo com o Pentágono, o reinício do programa está ligado à necessidade de garantir a segurança do arsenal nuclear dos EUA.

"A NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA realizam programas para aumentar a vida útil, renovar e substituir os componentes das armas nucleares, de maneira a prolongar o período de exploração dessas armas e garantir maior segurança e proteção do arsenal nuclear", lê-se no documento.

Entretanto, os analistas entrevistados pelo RT acreditam que o objetivo desse programa dos EUA é superar a Rússia do ponto de vista militar.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas