Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

EUA planejam reiniciar programa de modernização das ogivas termonucleares W78

A Administração Nacional de Segurança Nuclear dos EUA (NNSA) planeja reiniciar o programa de substituição de ogivas termonucleares W78. O programa será realizado entre 2019 e 2041 e vai custar 10-15 bilhões de dólares (R$ 40-58 bilhões).


Sputnik

A ogiva termonuclear W78 é uma das duas ogivas que equipam os mísseis balísticos intercontinentais Minuteman-III da Força Aérea dos EUA. 


Lançamento de míssil balístico Minuteman III
Lançamento do ICBM Minuteman III © AP Photo / Vandenberg Air Force Base

Pentágono também está considerando a utilização das ogivas W78 nos mísseis balísticos instalados em submarinos.

Segundo o relatório, citado pelo canal de televisão russo RT, a NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA tentaram modernizar as W78 durante dez anos, mas em 2014 o programa foi suspenso.

De acordo com o Pentágono, o reinício do programa está ligado à necessidade de garantir a segurança do arsenal nuclear dos EUA.

"A NNSA e a Secretaria da Defesa dos EUA realizam programas para aumentar a vida útil, renovar e substituir os componentes das armas nucleares, de maneira a prolongar o período de exploração dessas armas e garantir maior segurança e proteção do arsenal nuclear", lê-se no documento.

Entretanto, os analistas entrevistados pelo RT acreditam que o objetivo desse programa dos EUA é superar a Rússia do ponto de vista militar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas