Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

EUA podem enviar navio de guerra ao mar Negro em meio às tensões do Estreito de Kerch

Os militares dos EUA pediram ao Departamento de Estado para que notifiquem o governo da Turquia sobre a intenção de levar um navio de guerra ao Mar Negro, de acordo com a mídia.


Sputnik

A medida seria uma resposta a um incidente naval no Estreito de Kerch em 25 de novembro, quando três navios da Marinha ucraniana entraram em águas territoriais russas e violaram o direito internacional.


Novo navio de guerra dos EUA, USS Little Rock, chegando ao porto de Buffalo (imagem referencial)
USS Little Rock © AP Photo/ Carolyn Thompson

As autoridades russas detiveram os navios após as embarcações não responderem às exigências legais. Também foram detidos os 24 marinheiros que estavam a bordo dos navios.

A notificação da Marinha dos EUA dará a eles a opção para entrar na área, mas não se sabe se medida será tomada, segundo afirmou a CNN. Ainda segundo o canal de mídia, essa medida poderia aumentar as tensões entre os Estados Unidos e a Rússia.

Os Estados Unidos solicitaram à Rússia a liberdade dos marinheiros e também que devolvam os navios à Ucrânia. O presidente dos EUA, Donald Trump, decidiu cancelar uma reunião com o presidente russo, Vladimir Putin, durante a cúpula do G20 na Argentina após receber um relatório acerca do incidente de Kerch.

Putin afirmou que o incidente foi uma provocação preparada antecipadamente. Ela funcionaria como um pretexto para a introdução da lei marcial na Ucrânia antes da eleição presidencial do país. Conforme afirmou Putin, a lei marcial poderia afetar a campanha, prevista para começar no final de dezembro, em meio ao baixo índice de aprovação do presidente do país, Pyotr Poroshenko.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas