Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

EUA pretendem justificar saída do INF através de ultimato à Rússia, diz analista

Segundo o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, os EUA deixarão o Tratado INF em 60 dias, caso a Rússia não volte a cumprir plenamente o acordo.


Sputnik

Pompeo afirmou também que os EUA não produzirão, testarão e dispararão nenhum sistema de mísseis que viole o Tratado INF durante o prazo de 60 dias.


Resultado de imagem para tratado inf
Gorbatchev e Reagan assinam o Tratado INF | Reprodução

"Durante os 60 dias, não testaremos, não produziremos ou dispararemos nenhum sistema e veremos o que acontecerá nesse período", declarou Pompeo.

Esse ultimato gerou reação da Rússia. A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, afirmou que a Rússia cumpre rigorosamente o Tratado INF.

Já o vice-presidente do Comitê de Assuntos Internacionais da Federação da Rússia, Vladimir Dzhabarov, acredita que os EUA estejam lançando acusações contra a Rússia para justificar saída do acordo.

O parlamentário também enfatizou que a Rússia responderá simetricamente, ou seja, se os EUA saírem do Tratado INF e utilizarem mísseis de curto e médio alcance na Europa, a Rússia elevará a produção de mísseis na parte europeia de seu território.

O senador Aleksei Pushkov opina que o ultimado dos EUA está sendo usado para jogar a responsabilidade da saída americana do acordo para a Rússia. O senador enfatizou que Washington sabe que Moscou rejeitará o ultimato.

Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o professor da Academia de Ciências Militares da Rússia, Vladimir Kozin, afirmou que não vale a pena responder ao ultimato americano.

Além disso, o especialista militar afirmou que a Rússia é quem deveria dar um ultimato, não de 60 dias, mas de 24 horas aos EUA para resolver o assunto do Tratado INF. Pois os americanos violam o acordo desde 2001, testando sistemas de mísseis e utilizando mísseis de curto e médio alcance, bem como instalações de intercepção.

Kozin ressaltou que não é preciso responder ao ultimato americano, mas, sim, questionar o desenvolvimento de drones e pesquisas para criação de mísseis de cruzeiro dos EUA.

Segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, Moscou considera a saída dos EUA do Tratado INF como um "grande erro".

O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário foi firmado por EUA e União Soviética em 1987. O acordo proíbe a posse e o desenvolvimento de mísseis de curto e médio alcance. Os EUA têm alegado que a Rússia tenha violado o acordo INF ao construir mísseis proibidos. Moscou declarou inúmeras vezes que cumpre tudo que é necessário, e possui questões sérias quanto ao cumprimento do acordo pelos americanos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas