Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Futuro caça PCA pode custar três vezes mais que o F-35

Um jato de superioridade aérea da próxima geração para a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), conhecido como Penetrating Counter Air, pode custar cerca de US$ 300 milhões em dólares de 2018 por avião, informou o Escritório de Orçamento do Congresso (CBO) em um novo estudo.


Poder Aéreo

WASHINGTON – A esse preço, o PCA teria o custo de mais de três vezes o do jato F-35A, que é definido em cerca de US$ 94 milhões.

Concepção inicial do PCA – Penetrating Counter Air

Esse valor, embora não seja uma estimativa de custo oficial do Pentágono, representa a primeira vez que uma entidade governamental avaliou o preço potencial para o PCA.

O CBO estima que a USAF precisará de 414 aeronaves PCA para substituir os atuais F-15C/D e F-22, atuais caças da Força Aérea voltados para o combate ar-ar. Também supõe que a primeira aeronave entrará em serviço em 2030, com base no desejo declarado do serviço de começar a colocar em campo o PCA em torno desse período de tempo.

A razão para o preço enorme seria o custo das novas tecnologias. Segundo o CBO, “a aeronave PCA provavelmente teria uma maior autonomia e capacidade de carga, além de recursos stealth e sensores aprimorados, do que o F-22 de hoje; essas características ajudariam a operar na presença das defesas aéreas de alto nível que o DoD acredita que a China, a Rússia e outros adversários em potencial podem ter no futuro”.

FONTE: Defense News

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas