Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Insurgentes houthis começam a deixar porto de Al Hudaida

Insurgentes houthis começaram na noite de sexta-feira a se retirar do porto de Al Hudaida, no Iêmen, em cumprimento do acordo de cessar-fogo negociado com o governo do país, anunciou o porta-voz do movimento rebelde, o tenente-general Yehia Saria.


EFE

Sana - A retirada das tropas aconteceu na presença do general reformado holandês Patrick Cammaert, presidente do Comitê de Coordenação de Realocação (CCR), órgão liderado pela ONU para a supervisão do cumprimento do cessar-fogo.


Foto arquivo de rebeldes houthis, no Iêmen. EPA/YAHYA ARHAB
Foto arquivo de rebeldes houthis, no Iêmen | EPA/YAHYA ARHAB

"De acordo com as disposições do acordo de Estocolmo e com a implementação das direções do comando, as nossas forças começaram ontem à noite a aplicar a primeira fase da retirada do porto de Al Hudaida", disse Saria em entrevista à agência de notícias "Saba", controlada pelos houthis.

O porta-voz afirmou que os houthis agora esperam que o CCR obtenha um compromisso por parte do governo iemenita em cumprir sua parte da primeira fase do acordo negociado na Suécia, que prevê a retirada de tropas do leste da cidade e de outras partes de importância crítica.

O acordo inclui a aplicação de um cessar-fogo imediato em Al Hudaida e a retirada progressiva das tropas insurgentes e governamentais da cidade.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas