Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Intenção dos EUA de 'sepultar' INF gera novos riscos para Europa, diz chanceler russo

Após a declaração do secretário de Estado americano, Mike Pompeo, de que os EUA estão dispostos a abandonar o Tratado INF daqui a 60 dias, o chanceler russo, Sergei Lavrov, afirmou que a intenção americana gera grandes riscos para a Europa.


Sputnik

"A expansão precipitada da OTAN, o aumento do potencial da Aliança no chamado flanco oriental, a instalação de defesa antimíssil dos EUA na Europa e [a aplicação de] sanções ilegítimas por pretextos inventados levaram à crise de confiança no Euroatlântico", declarou Lavrov na sessão do Conselho de Ministros das Relações Exteriores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, realizada em Milão.


Chanceler russo Sergei Lavrov na conferência da imprensa da OTAN, Bruxelas 2011
Sergei Lavrov © AFP 2018 / J. SCOTT APPLEWHITE

"Novos riscos são criados devido à intenção dos Estados Unidos de sepultar mais um acordo internacional, desta vez o de mísseis de médio e curto alcance", acrescentou o ministro russo.

O chanceler também citou que os países-membros da Organização do Tratado de Segurança Coletiva aprovaram uma declaração especial sobre o assunto, que é um documento da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

Não é a primeira vez que os EUA ameaçam deixar de participar de um tratado. Em 2002, sob a liderança de George W. Bush, Washington se retirou do Tratado de Mísseis Antibalísticos (ABM).

Já o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) foi firmado por EUA e União Soviética em 1987. O acordo proíbe a posse e o desenvolvimento de mísseis de curto e médio alcance. Os EUA alegam que a Rússia tenha violado o acordo INF com construção de mísseis proibidos. Moscou declarou inúmeras vezes que cumpre tudo que é necessário, e possui questões sérias quanto ao cumprimento do acordo pelos americanos.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas