Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

La-176, o caça da URSS que rompeu a barreira do som durante voo supersônico

Há exatamente 70 anos, o caça La-176 se tornou o avião turborreator a superar a velocidade do som e foi a primeira aeronave soviética a efetuar isso. A Sputnik conta a dramática história do Lavochkin La-176 e sua contribuição para a aviação mundial.


Sputnik

A corrida pelo voo supersônico se iniciou logo após a 2ª Guerra Mundial, apesar de terem sido os alemães os primeiros a desenvolver os aviões operativos equipados de turborreatores — o caça Me-262 e o bombardero Ar-234.


Caça supersônico La-176, foto de arquivo
Lavochkin La-176 © Domínio público/Airwar.ru

Antes do marco desta máquina soviética, a velocidade máxima atingida pelas aeronaves estrangeiras era de 1.002 km/h, enquanto que o caça La-176 atingia de 1.100 a 1.200 km/h, dependendo das condições climáticas. A maior dificuldade era romper a barreira criada pela resistência do ar junto com a alta velocidade.

Mesmo após os obstáculos criados com a guerra, a União Soviética conseguiu se reerguer e, em apenas três anos, desenvolveu o avião turbojato mais rápido do mundo.

O engenheiro de aviação e autor do livro "Aviões de Lavochkin", Nikolai Yakubovich, disse à Sputnik que não há nada de misterioso sobre isso e, de fato, tudo foi muito simples.


Caça supersônico La-176, foto de arquivo
Caça supersônico La-176, foto de arquivo © DOMÍNIO PÚBLICO/AIRWAR.RU

"Já antes da guerra, o TsAGI investigava a teoria do voo supersônico. Foram poucos trabalhos, mas já havia alguma experiência. Então obtivemos tecnologias alemãs e intensificamos esses estudos para levá-los a um novo nível", afirma Yakubovich.

Um dos avanços conquistados, que foi completamente novo para a época, foi a elaboração de asas em flecha. Outro fator determinante foi o desenvolvimento do novo motor VK-1, com força de empuxo de 2 mil toneladas.

Bell X-1 americano contra La-176 russo

Em 1947, o avião norte-americano Bell X-1 foi o primeiro a superar a velocidade do som, tendo sido lançado de um bombardeiro estratégico B-52 e atingido a velocidade de 1.100 km/h (Mach 1,06).


Avião estadunidense Bell X-1, foto de arquivo
Avião estadunidense Bell X-1, foto de arquivo | DOMÍNIO PÚBLICO/ NASA

De acordo com o especialista, não se deve comparar o avião russo com o americano, pois o único feito divulgado do Bell X-1 foi por ter superado a barreira do som. Além disso, a aeronave dos EUA era uma máquina propulsada por um motor de foguete, que apenas funcionava por alguns minutos antes de ser lançada a voo livre.


Esquema do avião La-176
Esquema do avião La-176 © DOMÍNIO PÚBLICO/AIRWAR.RU

"Enquanto isso, nosso La-176 era uma máquina de combate completa. Foi uma aeronave bastante leve e como você pode julgar pelo desempenho do La-15, seu antecessor fabricado em série, superou tudo o que tínhamos", adicionou o engenheiro.

Também era previsto que a aeronave soviética exerceria funções de interceptor armado com canhões de 23 e 37 mm.

Legendário voo do Lavochkin La-176

Em 1948, as avaliações da aeronave soviética foram efetuadas pelos pilotos de teste soviéticos Oleg Sokolovsky e Ivan Fedorov a mais de 10 mil metros de altitude.


Avião La-176, foto de arquivo
Lavochkin La-176 © Domínio público/Airwar.ru

Foi em 26 de dezembro do ano referido que Sokolovsky atingiu a velocidade de 1.105 km/h, o que equivale a Mach 1,02.

Os pilotos repetiram mais seis vezes os testes para confirmar a capacidade do La-176. O piloto Fedorov contou sobre as provas e a sensação do voo supersônico.

"Ouve-se um apito agudo. Conforme a velocidade aumenta, o avião avança para o chão. A escala de Mach continua aumentando enquanto o avião treme como um louco. E de repente, o silêncio vem! A barreira do som foi superada!", descreveu Fedorov.

Ele também contou que antes do voo ser realizado, não havia garantias que eles sairiam vivos da missão, pois não tinham certeza se o avião aguentaria a sobrecarga.

Para realizar o teste, apenas um caça La-176 foi fabricado. Porém, o avião sofreu um acidente durante um voo curto pilotado por Sokolovsky, que perdeu o controle da aeronave durante a decolagem a cerca de 400 km/h.

O ponto final no desenvolvimento e fabricação do La-176 abriu caminho para que o MiG-15 se tornar o principal caça da Força Aérea da URSS.

Legado do caça soviético

A aviação soviética foi fortemente impulsionada pelo desenvolvimento do La-176, pois o avanço dessa aeronave representou um grande progresso, destaca Yakubovich.


Avião La-176, foto de arquivo
Lavochkin La-176 © Domínio público/Airwar.ru

Os estudos alemães foram de grande ajuda na hora de criar o caça soviético, declarou o especialista, adicionando que era questão de possuir tecnologias mais avançadas para que os engenheiros soviéticos pudessem aplicar soluções técnicas originais.

"Quando os americanos entraram na Alemanha, eles rejeitaram as tecnologias alemãs com a confiança de que poderiam avançar mais na aviação por conta própria. Mas agora eles perderam sua superioridade absoluta e somos concorrência para eles, incluindo muitos aspectos, nós os superamos", concluiu Yakubovich.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas