Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Lei marcial gera custo de US$ 125 milhões ao Banco Nacional da Ucrânia

O Banco Nacional da Ucrânia gastou US$ 125 milhões para segurar a variação do câmbio no país nos 3 primeiros dias após a imposição da lei marcial no país em resposta ao incidente no estreito de Kerch.


Sputnik

A informação foi divulgada pelo presidente do banco, Yakiv Smolii, neste domingo (9).


Presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, na Conferência de Segurança em Munique, Alemanha, 17 de fevereiro de 2017
Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia © AP Photo / Matthias Balk

No dia 26 de novembro, o parlamento ucraniano apoiou a iniciativa do presidente ucraniano Pyotr Poroshenko de impôr a lei marcial em 10 regiões do leste do país.

A medida foi uma resposta ao incidente no estreito de Kerch, em que três navios ucranianos foram detidos pela Rússia após cruzarem ilegalmente as águas terrirotoriais russas.

"Uma certa exaltação nos primeiros três dias após a imposição da lei marcial foi rapidamente substituído pelo fortalecimento da hryvnia [moeda ucraniana] no final da semana. O Banco Nacional suavizou as flutuações das intervenções cambiais. Para apoiar a taxa de câmbio, cerca de cerca de US$ 125 milhões foram gastos das reservas entre 26 e 30 de novembro", disse Smolii ao site VoxUkraine.

O presidente da Rússia, Vladimir Puton disse que o incidente do estreito de Kerch foi uma provocação preparada como um pretexto para introduzir a lei marcial no na Ucrânia. Putin também afirmou que a provocação poderia estar ligada à baixa popularidade de Poroshenko e a aproximação das eleições presidenciais de 2019, cuja campanha se inicio em dezembro.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas