Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Mattis: Retorno imediato da Rússia à conformidade com INF seria o 'melhor resultado'

O secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, disse nesta quinta-feira que o retorno imediato da Rússia à adesão ao Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) seria o melhor resultado da atual ameaça dos EUA em abandonar o compromisso.


Sputnik


"Nosso melhor resultado seria que a Rússia retorne imediatamente à conformidade. E isso não é como uma armadilha para eles", disse Mattis. "Mais uma vez, há anos dois governos [e] vários aliados conversaram com eles sobre o retorno à conformidade. Portanto, essa não é uma expectativa irrealista."


Resultado de imagem para Jim Mattis
Jim Mattis | Reprodução

Na terça-feira, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que os Estados Unidos suspenderiam sua adesão ao Tratado INF em 60 dias, a menos que a Rússia retornasse ao cumprimento total do acordo. A Rússia negou repetidamente que viole o tratado.

"É claro que a Rússia às vezes está provando ser um parceiro difícil em qualquer esforço positivo. Essa foi a razão para a discussão do secretário Pompeo ontem e a declaração de violação material", disse Mattis.

Na quarta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, disse aos repórteres que os Estados Unidos ainda não forneceram evidências para sustentar alegações de que a Rússia está violando o Tratado INF. Putin afirmou ainda que se os EUA quiserem desenvolver armas proibidas pelo acordo, a Rússia seguirá o exemplo.

O Tratado INF foi assinado em 1987 entre a União Soviética e os Estados Unidos. O acordo obriga as partes a destruir seus mísseis balísticos e de cruzeiro lançados do solo, cujas faixas de alcance sejam de 500 e 5.500 quilômetros.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas