Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Mattis: Retorno imediato da Rússia à conformidade com INF seria o 'melhor resultado'

O secretário de Defesa dos EUA, Jim Mattis, disse nesta quinta-feira que o retorno imediato da Rússia à adesão ao Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) seria o melhor resultado da atual ameaça dos EUA em abandonar o compromisso.


Sputnik


"Nosso melhor resultado seria que a Rússia retorne imediatamente à conformidade. E isso não é como uma armadilha para eles", disse Mattis. "Mais uma vez, há anos dois governos [e] vários aliados conversaram com eles sobre o retorno à conformidade. Portanto, essa não é uma expectativa irrealista."


Resultado de imagem para Jim Mattis
Jim Mattis | Reprodução

Na terça-feira, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que os Estados Unidos suspenderiam sua adesão ao Tratado INF em 60 dias, a menos que a Rússia retornasse ao cumprimento total do acordo. A Rússia negou repetidamente que viole o tratado.

"É claro que a Rússia às vezes está provando ser um parceiro difícil em qualquer esforço positivo. Essa foi a razão para a discussão do secretário Pompeo ontem e a declaração de violação material", disse Mattis.

Na quarta-feira, o presidente russo, Vladimir Putin, disse aos repórteres que os Estados Unidos ainda não forneceram evidências para sustentar alegações de que a Rússia está violando o Tratado INF. Putin afirmou ainda que se os EUA quiserem desenvolver armas proibidas pelo acordo, a Rússia seguirá o exemplo.

O Tratado INF foi assinado em 1987 entre a União Soviética e os Estados Unidos. O acordo obriga as partes a destruir seus mísseis balísticos e de cruzeiro lançados do solo, cujas faixas de alcance sejam de 500 e 5.500 quilômetros.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas