Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Militares iranianos declaram ter possibilidade de aumentar alcance de mísseis balísticos

Os militares do Irã têm capacidade para aumentar o alcance de voo dos seus mísseis balísticos, anunciou o brigadeiro-general Amir Ali Hajizadeh, comandante da Força Aeroespacial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês).


Sputnik

Segundo o general, atualmente o limite de alcance dos mísseis balísticos iranianos é de 2 mil quilômetros.


Lançamento de um míssil balístico pelo Irã
Lançamento de míssil balístico iraniano © AP Photo / Amir Kholousi

"Nós temos a capacidade para criar mísseis com um alcance maior […] Não temos limites do ponto de vista técnico ou devido a acordos quanto ao alcance dos mísseis", declarou.

Teerã, depois de assinar o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) em 2015, efetuou por várias vezes testes de mísseis balísticos em 2016 e 2017. Em setembro de 2017, durante um desfile militar, o Irã apresentou um novo míssil balístico, denominado Khorramshahr, de alcance de 2 mil quilômetros.

No início de dezembro o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, declarou que o Irã realizou testes de um míssil balístico de médio alcance, violando a resolução do Conselho de Segurança da ONU. Os EUA apelam ao Irã para cessar imediatamente todas as ações ligadas aos mísseis balísticos destinados ao transporte de armas nucleares.

O Ministério das Relações Exteriores iraniano comunicou, em resposta às acusações, que o programa de mísseis do país não viola resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas