Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Ministro do Exterior turco revela que Trump planejaria retirar tropas da Síria

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, declarou que o presidente dos EUA, Donald Trump, estaria considerando retirar as tropas estadunidenses da Síria. Washington ainda não comentou essa declaração.


Sputnik

"O presidente dos EUA Donald Trump planeja retirar [as tropas] da Síria", disse o ministro no domingo (16).


Resultado de imagem para eua syria
Base militar dos EUA na Síria © AP Photo / Hussein Malla

A coalizão de mais de 70 países liderada pelos EUA está realizando operações militares contra os grupos terroristas na Síria e no Iraque. Os ataques da coalizão na Síria não são autorizados pelo governo do presidente sírio Bashar Assad ou pelo Conselho de Segurança da ONU.

Além disso, Cavusoglu comentou as gravações áudio supostamente ligadas ao caso do jornalista saudita Jamal Khashoggi assassinado no consulado da Arábia Saudita em Istambul.

Segundo ele, os áudios provam que o assassinato foi planejado com antecedência. Segundo o ministro, os serviços de inteligência de todos os países interessados já puderam ouvi-los.

"As inteligências dos países que estão interessados [no caso de Khashoggi] tiveram a oportunidade de ouvir os áudios. Eu também fiz isso, junto com o meu presidente, [Recep Tayyip] Erdogan. Então você pode ver, você pode ouvir claramente que eles tinham planejado com antecedência matá-lo", disse Cavusoglu.

Cavusoglu reiterou a posição da Turquia sobre o assunto, dizendo que o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, estava determinado a investigar completamente o caso de Khashoggi.

Khashoggi foi morto no início de outubro depois de ele ter entrado no consulado saudita em Istambul, na Turquia. O alarme sobre o crime foi levantado pela primeira vez por responsáveis oficiais turcos.

Em 26 de outubro, o procurador-geral saudita reconheceu que o assassinato do jornalista foi premeditado. No entanto, Riad sustenta que o assassinato não teve nada a ver com a família real saudita, descrevendo a operação como criminosa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas