Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Otan acusa Rússia de violar tratado de armas nucleares

Organização diz que país viola o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário de 1987, que livrou a Europa de mísseis nucleares baseados em terra. Em comunicado, membros apoiaram acusações dos Estados Unidos.


G1

A Otan acusou formalmente a Rússia, nesta terça-feira (4), de violar o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF, na sigla em inglês), afirma a agência Reuters. O acordo, assinado em 1987, livrou a Europa de mísseis nucleares baseados em terra. A organização também emitiu um comunicado em que apoia as acusações dos Estados Unidos sobre violações russas.

O secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e os ministros de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu; Romênia, Teodor-Viorel Melescanu; Polônia, Jacek Czaputowicz e Noruega, Ine Marie Eriksen Soreide, posam para foto na sede da OTAN, em Bruxelas, na terça-feira (4)  — Foto: Reuters/Yves Herman
O secretário geral da OTAN, Jens Stoltenberg, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e os ministros de Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu; Romênia, Teodor-Viorel Melescanu; Polônia, Jacek Czaputowicz e Noruega, Ine Marie Eriksen Soreide, posam para foto na sede da OTAN, em Bruxelas, na terça-feira (4) — Foto: Reuters/Yves Herman

"Os aliados concluíram que a Rússia desenvolveu e implantou um sistema de mísseis, o 9M729, que viola o Tratado INF e representa riscos significativos para a segurança euro-atlântica", disseram ministros das Relações Exteriores de países da Otan em um comunicado após reunião.

"Apoiamos firmemente a constatação dos Estados Unidos de que a Rússia está em violação material de suas obrigações sob o Tratado INF", acrescentou o comunicado.

EUA dão ultimato de 60 dias para a Rússia

O chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, deu nesta terça-feira (4) 60 dias de prazo à Rússia para cumprir "plenamente" o tratado sobre armas nucleares conhecido como INF, segundo a France Presse. A declaração veio após Washington ameaçar se retirar do acordo por descumprimento russo.

"Os Estados Unidos declaram hoje que a Rússia violou substancialmente o tratado e suspenderemos nossas obrigações (...) em 60 dias, a menos que a Rússia volte a cumpri-lo plenamente e de forma verificável", disse Pompeo após uma reunião da Otan em que recebeu o apoio dos aliados.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas