Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Poroshenko acusa Rússia de planejar invasão de duas cidades ucranianas

Recentemente, o presidente ucraniano declarou que a Rússia teria planos de invadir duas cidades ucranianas, Berdyansk e Mariupol, para garantir uma rota terrestre de Donbass à Crimeia.


Sputnik

Entretanto, a declaração de Poroshenko não contém provas ou argumentos reais sobre os planos citados, fazendo com que o deputado da Duma Federal da Rússia, Mikhail Sheremet, considerasse a declaração como algo "absurdo".


Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia (foto de arquivo)
Pyotr Poroshenko © Foto : Serviço de imprensa do presidente da Ucrânia

Sheremet afirmou que a declaração do líder ucraniano não passa de um absurdo, e que os planos citados existem apenas na "imaginação inflamada" de Poroshenko, que está tentando passar uma imagem negativa da Rússia, sem qualquer evidência concreta sobre tais planos, enfatizando que o único fato relevante é que a Rússia jamais desistirá de seus territórios, contudo, ela nunca vai pretender invadir outros territórios.

"Por isso, Poroshenko deve considerar todas suas ações antes de planejar novas provocações contra a Rússia, além de parar de culpar a Rússia pelos seus próprios fracassos internos no país […]", ressaltou Sheremet.

Vale ressaltar que o conflito no Leste da Ucrânia entre as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk e as autoridades ucranianas já matou mais de 10 mil pessoas desde abril de 2014.

O acordo de paz assinado em Minsk em 2015 ajudou a reduzir as hostilidades, mas os confrontos continuam e as tensões têm sido elevadas nas últimas semanas após provocações da Marinha ucraniana, quando três navios seus — Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu — atravessaram a fronteira da Rússia, no dia 25 de novembro, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre direito marítimo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas