Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

Presidente ucraniano quer abolir tratado de amizade com a Rússia

O presidente ucraniano, PyotrPoroshenko, afirmou neste sábado (8) que assinará, na segunda-feira (10), uma lei abolindo o Tratado de Amizade, Cooperação e Parceria entre Rússia e Ucrânia.


Sputnik

Na quinta-feira (6), o parlamento ucraniano votou pelo não prolongamento do tratado, que vai até 1º de abril de 2019. Dentre os 450 parlamentares, um total de 277 apoiaram a medida.


Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia
Pyotr Poroshenko © Foto : Presidência da Ucrânia / Mikhail Palinchak

"Há um certo simbolismo no término do acordo sobre a chamada amizade com a Rússia. Vou assinar a lei correspondente na segunda-feira", disse Poroshenko em sua conta oficial no Twitter.

​O tratado de amizade, cooperação e parceria foi assinado entre os dois países há 21 anos. O documento fundamental para as relações bilaterais entre os países e prevê uma parceria estratégica.

A Rússia disse que a decisão de Kiev prejudicaria ainda mais as relações bilaterais. A oposição ucraniana igualmente condenou a medida como prejudicial aos interesses nacionais da Ucrânia, argumentando do que a medida criaria um vácuo legal nas relações entre os dois países.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas