Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Relatos: exército estadunidense estabelece 2 novas bases perto da fronteira síria

O exército estadunidense estabeleceu duas novas bases militares em zonas desabitadas da província iraquiana de Anbar, disse à agência de notícias Anadolu Farhan al-Duleimi, membro do conselho provisório de Anbar.


Sputnik

A primeira base foi estabelecida na região de Rumana, no distrito de Al-Qa'im, perto da fronteira síria, a cerca de 360 quilômetros a leste da capital da província, Ramadi. 


The file photo shows Iraqi soldiers standing guard near the city of Qaim at the Iraqi-Syrian border, November 11, 2018. (AFP)
Militares na fronteira entre Iraque e Síria (AFP)

A segunda base foi criada a leste da cidade de Al-Rutbah, cerca de 310 quilômetros a leste de Ramadi e a menos de 100 quilômetros da fronteira com a Síria, revelou al-Duleimi citado pelo canal PressTV.

O funcionário sugeriu que as bases norte-americanas teriam a intenção de ajudar as forças iraquianas a "proteger as fronteiras do país e de impedir infiltrações do grupo terrorista Daesh (organização terrorista proibida na Rússia)".

"Dezenas de militares dos EUA estão atualmente posicionados nas duas bases, assim como drones e outros equipamentos", acrescentou al-Duleimi, sem fornecer quaisquer provas adicionais.

O governo central de Bagdá e Washington ainda não comentaram a declaração de al-Duleimi. Se for confirmado, isso elevaria o número total de bases na província de Anbar para quatro.

Cerca de 5.000 militares americanos permaneceram no Iraque desde 2014, quando Washington declarou o início de suas operações antiterroristas com o objetivo de derrotar o grupo islamista Daesh, que havia conseguido invadir cerca de dois terços do Iraque, principalmente no norte e no oeste do país.

Em 2017, Bagdá declarou que os terroristas do Daesh foram expulsos do Iraque, após um conflito de três anos que terminou com a libertação da cidade de Mossul, antiga "capital" iraquiana dos jihadistas. O grupo terrorista abandonou todos os seus redutos urbanos no Iraque, mas seus remanescentes continuam a lançar ataques terroristas esporádicos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas