Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Rússia exige investigação de ataques aéreos da OTAN no Afeganistão

Moscou exige uma investigação completa dos ataques aéreos da coalizão liderada pela OTAN em províncias afegãs e levar os responsáveis ​​à justiça. A informação foi divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores da Rússia nesta segunda-feira (3).


Sputnik

De acordo com a chancelaria, os ataques aéreos na província de Helmand mataram pelo menos 23 pessoas e feriram três civis, enquanto as ações militares da coalizão em Paktia mataram oito e feriram quatro civis, elevando o número de incidentes semelhantes para pelo menos cinco na segunda quinzena de novembro.


Soldado da OTAN no Afeganistão, foto de arquivo
Tropa da OTAN no Afeganistão © AP Photo / Massoud Hossaini

"A situação causa profunda preocupação. Essa falta criminosa de profissionalismo levanta sérias questões sobre as atividades das tropas da OTAN no Afeganistão. Até onde podemos ver, o aumento observado nas baixas está diretamente relacionado à decisão norte-americana anunciada anteriormente de intensificar sua atividade militar no Afeganistão", disse o ministério em um comunicado.

"Exigimos que uma investigação completa dos incidentes acima mencionados seja realizada e que os responsáveis ​​sejam levados à justiça", destacou a diplomacia russa.

A missão Apoio Resoluto da OTAN no Afeganistão teve início em 2015 e inclui mais de 13 mil militares que treinam e assessoram as forças de segurança afegãs no combate a terroristas, em primeiro lugar ao Talibã (proibido na Rússia).

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas