Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Turquia continuará apoiando a Palestina, diz Erdogan a Abbas em conversa sobre Jerusalém

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, teve uma conversa telefônica com o líder palestino Mahmoud Abbas em que discutiram a questão das recentes mudanças de embaixadas estrangeiras para Jerusalém em Israel.


Sputnik

"O presidente da Turquia e da Palestina falaram por telefone no sábado e discutiram eventos regionais. Erdogan e Abbas também trocaram visões sobre os passos de vários países na mudança de suas embaixadas para Jerusalém e discutiram como prevenir passos errôneos que possam dificultar a solução da questão palestina", disse uma fonte.


Turkey's President Recep Tayyip Erdogan speaks during an Iftar, the evening meal breaking the Ramadan fast, at his palace in Ankara, Turkey, Saturday, May 19, 2018
Recep Tayyip Erdogan © AP Photo / Presidential Press Service/Pool

Erdogan garantiu que a Turquia continuará apoiando o povo palestino.

No início de dezembro, o premiê australiano, Scott Morrison, anunciou que a Austrália reconheceu Jerusalám como a capital de Israel e que tinha intenção de abrir escritórios de Defesa e Comércio lá. Ao mesmo tempo, Caberra afirmou que não tem a intenção de mudar sua embaixada no país.

Em maio, os Estados Unidos mudaram sua embaixada em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém, causando desagrado na comunidade muçulmana mundo afora. Brasil, Guatemala, Honduras e República Tcheca também reconheceram Jerusalém como a capital de Israel.

Enquanto isso, a Organização das Nações Unidas (ONU) e seus estados membros condenam esse tipo de medida até que o status legal de Jerusalém seja estabelecido.

Tanto Israel quanto Palestina querem Jerusalém com capital. A expectativa da ONU é que a questão sobre a cidade seja resolvida através de um processo de paz entre ambos os países.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas