Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Queremos que a Venezuela volte à democracia', diz Bolsonaro a TV dos EUA

Em entrevista à Fox News, o presidente também defendeu o muro para separar EUA do México. Nesta terça, ele vai se encontrar com Donald Trump.
Por G1

O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista à TV norte-americana na madrugada desta terça-feira (19) que a Venezuela estará no centro das discussões durante o encontro com o presidente dos EUA, Donald Trump, na Casa Branca, nesta tarde.

Ao canal Fox News, Bolsonaro reafirmou que o presidente norte-americano mantém "todas as opções na mesa"em relação à Venezuela. "Nós não podemos falar em todas as possibilidades, mas o que for possível de forma diplomática", disse Bolsonaro, segundo tradutor da emissora.

A entrevista foi ao ar com tradução simultânea, e em alguns trechos não foi possível ouvir o que o presidente respondeu. Bolsonaro disse que o Brasil é o país mais interessado em pôr fim ao governo de Nicolás Maduro.

O presidente afirmou que o governo brasileiro está alinhado ao de Trump. "Hoje temos nova ideologia,…

Armas de '4ª dimensão' na Rússia: realidade ou invenção?

O general norte-americano Howard Thompson declarou que as tecnologias de armas hipersônicas russas estão muito à frente das dos EUA e podem neutralizar os sistemas existentes de defesa antimíssil , informa The Hill.


Sputnik

Como escreveu Thompson no jornal The Hill, as ogivas cuja velocidade é muitas vezes superior à velocidade do som têm um "efeito de quarta dimensão", neutralizando a defesa antimíssil dos EUA.


Imprevisibilidade da trajetória de voo do novo sistema Avangard, deve-se à sua alta capacidade de manobrar e neutralizar todos os sistemas de defesa antiaérea
Lançamento do míssil hipersônico russo Avangard © Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia

O termo "efeito de quarta dimensão" mencionado na sua publicação significa o aumento qualitativo da velocidade dos ataques, tão alta que o inimigo não tem tempo para tomar uma decisão, e sua defesa antimíssil torna-se inútil.

"A realidade dura é que nossos atuais sistemas de defesa antimíssil, assim como nosso pensamento operacional, são simplesmente incapazes de combater essa ameaça", escreve Thompson.

Em sua opinião, os políticos americanos não entendem que, com a ajuda de armas hipersônicas, a Rússia e a China já expandiram significativamente suas capacidades de combate, devendo os EUA desenvolver ativamente armamentos semelhantes.

O especialista russo, Andrei Koshkin, comentou para o serviço russo da rádio Sputnik a questão do armamento hipersônico.

"Os americanos não acreditavam que a Rússia seria capaz de criar tais sistemas de armas. E eis que, afinal, essas armas já entraram em serviço. Agora, todo o mundo se convenceu: tudo o que falávamos publicamente na última década foi realizado na prática", disse ele.

Por isso, de acordo com Koshkin, o Pentágono está vendo que os EUA estão significativamente atrás da Rússia e da China, que possuem armas únicas, já caracterizadas como "armamento de quarta dimensão" por causa da sua alta velocidade, quando quase não há tempo para tomar uma decisão sobre um ataque retaliatório.

No entanto, outro especialista russo Viktor Murakhovsky disse a Sputnik nesta sexta-feira (11) que o termo "armamento de quarta dimensão" usado pelo general americano não existe, sendo apenas uma figura de linguagem.

"Essa invenção, digamos assim, é uma figura de linguagem que o general americano decidiu usar em seu discurso. Quanto à paridade da Rússia e China na área do armamento hipersônico, posso dizer que Pequim está trabalhando nessa direção, mas hoje não se sabe se se trata de produtos que entraram na fase de testes, ou se são apenas experimentos", disse ele.

Falando sobre o desenvolvimento de armamento hipersônico nos EUA, o especialista observou que Washington tem projetos como o Hypersonic Test Vehicle e o Advanced Hypersonic Weapons, alguns dos quais estão parados devido a resultados negativos, alguns continuam, mas também no estágio de trabalho experimental.

"A Rússia é o único país que testou e colocou em serviço armas hipersônicas. Isso se aplica tanto ao complexo Avangard quanto aos mísseis Kinzhal, acrescentou Murakhovsky.

O sistema Avangard está entre as armas cuja criação foi anunciada pelo presidente Vladimir Putin em 1º de março de 2018, durante seu discurso anual perante a Assembleia Federal. O míssil é capaz de voar nas camadas densas da atmosfera com alcance intercontinental, enquanto sua velocidade é 20 vezes maior que a do som. A produção em série do Avangard foi anunciada em julho desse ano, enquanto sua colocação em serviço se espera nos próximos meses.

O Kinzhal é uma versão modificada do míssil balístico do sistema Iskander adaptada para lançamento a partir de bombardeiros Tu-22M3 e caças MiG-31K. Pode atacar com alta precisão tanto alvos terrestres como grandes navios de superfície inimigos: porta-aviões, cruzadores, destróieres e fragatas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas