Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Ataques do Boko Haram fazem 30 mil pessoas fugirem da Nigéria para Camarões

Cerca de 30 mil pessoas fugiram no fim de semana da cidade de Rann, no estado nigeriano de Borno, para Camarões por causa dos ataques e ameaças do Boko Haram e outros grupos jihadistas, informou nesta terça-feira a Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).


EFE

Genebra - Em entrevista coletiva, o porta-voz do Acnur, Babar Baloch, disse que esses refugiados fazem parte dos milhares que fugiram nos últimos meses da Nigéria para Camarões e Chade, em um momento de aumento da violência do Boko Haram.


Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer
Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer

"Com mais de 250 mil crianças, mulheres e homens já antes deslocados no nordeste da Nigéria, o aumento dos ataques contra civis está forçando milhares de pessoas a correr por suas vidas todos os dias. As jovens, as mulheres idosas e os trabalhadores humanitários continuam levando a pior parte desta escalada da violência", ressaltou o porta-voz em Genebra.

O Acnur, junto com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), lançou hoje um programa regional de resposta à crise de refugiados nessa região do Sahel para arrecadar doações no valor de US$ 135 milhões. Na zona em torno do Lago Chade (Nigéria, Chade, Camarões) calcula-se que existam 2,5 milhões de deslocados, incluindo 1,8 milhões no interior da Nigéria.

Comentários

Postagens mais visitadas