Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Ataques do Boko Haram fazem 30 mil pessoas fugirem da Nigéria para Camarões

Cerca de 30 mil pessoas fugiram no fim de semana da cidade de Rann, no estado nigeriano de Borno, para Camarões por causa dos ataques e ameaças do Boko Haram e outros grupos jihadistas, informou nesta terça-feira a Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur).


EFE

Genebra - Em entrevista coletiva, o porta-voz do Acnur, Babar Baloch, disse que esses refugiados fazem parte dos milhares que fugiram nos últimos meses da Nigéria para Camarões e Chade, em um momento de aumento da violência do Boko Haram.


Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer
Foto de arquivo, de 2016, que mostra mulheres nigerianas abandonando o povoado de Mairi, na Nigéria, devido a taques do Boko Haram. EFE/Stringer

"Com mais de 250 mil crianças, mulheres e homens já antes deslocados no nordeste da Nigéria, o aumento dos ataques contra civis está forçando milhares de pessoas a correr por suas vidas todos os dias. As jovens, as mulheres idosas e os trabalhadores humanitários continuam levando a pior parte desta escalada da violência", ressaltou o porta-voz em Genebra.

O Acnur, junto com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), lançou hoje um programa regional de resposta à crise de refugiados nessa região do Sahel para arrecadar doações no valor de US$ 135 milhões. Na zona em torno do Lago Chade (Nigéria, Chade, Camarões) calcula-se que existam 2,5 milhões de deslocados, incluindo 1,8 milhões no interior da Nigéria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas