Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

China: EUA devem abandonar mentalidade da Guerra Fria

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, pronunciou-se contra a publicação da nova Estratégia Nacional de Inteligência norte-americana, na qual a China e a Rússia são referidas como países "adversários" dos EUA.


Sputnik

"Tomámos nota da redação que os [Estados Unidos] mencionaram na versão atualizada da Estratégia Nacional de Inteligência dos EUA, que acaba de ser publicada nos Estados Unidos. Os Estados Unidos emitiram uma série de relatórios, que apresentam acusações infundadas contra a Rússia e a China ", disse Hua Chunying, porta-voz do ministério em um comunicado.


Presidente dos EUA, Donald Trump, acena ao lado do presidente chinês, Xi Jinping, após coletiva de imprensa em Pequim, 9 de novembro de 2017
Donald Trump e Xi Jinping © AP Photo / Andy Wong

Chunying solicitou que os EUA façam mais esforços para fortalecer a confiança mútua entre os dois países e que mantenham a paz e a estabilidade internacional, além de pedir que Washington abandone a mentalidade da Guerra Fria.

Segundo a porta-voz, Pequim aderiu ao caminho do desenvolvimento pacífico, com uma política de natureza defensiva.

A Estratégia Nacional de Inteligência americana atualizada foi publicada no dia 22 de janeiro, afirmando que os "múltiplos adversários" continuaram a procurar oportunidades para causar danos potencialmente catastróficos aos interesses dos EUA através da aquisição e uso de armas de destruição em massa, incluindo armas biológicas, químicas e nucleares.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas