Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA entregam armas modernas a forças curdas da Síria, escreve mídia

Os opositores americanos da retirada das tropas dos EUA da Síria entregaram armas modernas às Unidades de Proteção Popular (YPG), escreveu o jornal turco Yeni Akit, citando fontes locais.
Sputnik

A edição destaca que o fornecimento é referente a um grande número de modernos sistemas de mísseis antitanque Javelin e Tow. Supõe-se que os curdos usem essas armas contra tanques turcos, que logo entrarão em Manbij, no norte da Síria.


Segundo a publicação, as forças especiais turcas estão no momento realizando buscas por esses complexos nesta cidade e, devido a isso, a Turquia está atrasando sua operação militar na referida cidade.

Anteriormente, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan havia anunciado que, se os EUA não se retirarem da Síria, Ancara estaria pronta para lançar uma operação no leste do Eufrates, assim como em Manbij, contra as forças de autodefesa dos curdos sírios.

Em meados de dezembro de 2018, o líder americano, Donald Trump, declarou a vitória sobre o grupo de militantes Daesh …

China reage à operação da marinha dos EUA: 'temos mísseis'

O governo chinês vai implantar um sistema de mísseis balísticos DF-26, conhecidos como “assassinos de navios”, em pontos estratégicos do país próximos ao mar do sul da China e da região oriental da Ásia, área altamente disputada entre países do sudeste asiático. 


Vanessa Barbosa | Exame

A investida ocorre poucos dias depois de um navio de guerra dos EUA atravessar o Estreito de Taiwan e navegar perto das Ilhas Paracel, reivindicadas pela China, Vietnã e Taiwan.


China: mísseis balísticos DF-26 exibidos durante desfile militar em Pequim.
China: mísseis balísticos DF-26 exibidos durante desfile militar em Pequim © Andy Wong – Pool

O navio de guerra americano alegou que estava navegando sob as regras internacionais do direito do mar, um acordo que garante sua “livre passagem” na região.

Mas a China acusou os EUA de invadir suas águas territoriais. “A ação dos EUA violou as leis chinesas e as leis internacionais, infringiu a soberania da China, danificou a paz regional, a segurança e a ordem”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Lu Kang, na segunda-feira.

Os mísseis chineses são capazes de acertar alvos terrestres e marinhos a até 5.471 quilômetros, e suportam ogivas convencionais e nucleares.

Com isso, a China pretende alertar que o país tem mísseis e é capaz de proteger seu território, segundo artigo publicado pela CNN.

Como parte das medidas cautelares, a China também enviou aviões militares e navios de guerra para alertar o navio de guerra dos EUA e ordená-lo a se afastar das ilhas disputadas.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas