Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Contra-ataque sírio a aeroporto israelense se tornará realidade?

O representante permanente da Síria na ONU, Bashar Jaafari, ameaçou retaliar aeroporto de Tel Aviv após ataque israelense ao aeroporto de Damasco. Analista político esclareceu probabilidade de contra-ataque em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.


Sputnik

A Síria se diz no direito de realizar ataque "simétrico" em resposta ao ataque israelense contra aeroporto de Damasco. A declaração foi dada pelo representante permanente da Síria na ONU, Bashar Jaafari, em uma reunião do Conselho de Segurança da organização.


Um militar do exército sírio prepara o caça Su-22 da Força Aérea da Síria para o voo (foto do arquivo)
© Sputnik / Ilia Pitalev

As palavras do diplomata foram transmitidas no país árabe pela televisão e incluíram trecho: "Chegou a hora de o Conselho de Segurança de tomar as medidas necessárias para deter os ataques regulares israelenses aos territórios sírios, ou a Síria precisará chamar atenção daqueles que criam guerras neste Conselho, realizando seu legítimo direito de se defender e responder ao ataque israelense ao Aeroporto Internacional de Damasco, atacando o aeroporto de Tel Aviv."

O analista político em assuntos do Oriente Médio, Stanislav Tarasov, comentou a situação para o serviço russo da rádio Sputnik, destacando que "a situação na Síria está piorando após a série de ataques aéreos de Israel".

"Esta situação causa uma impressão estranha, porque Israel recebeu repetidas advertências da Rússia. No entanto, Israel ataca por acreditar que bases e armazéns pertençam às Forças Armadas iranianas que operam na Síria."

Segundo o especialista, as Forças Armadas da Síria também não estão de braços cruzados, pois possuem armamento moderno que, de acordo com fontes militares, "80% ou até mesmo 90% dos ataques com mísseis de Israel foram repelidos". Stanislav Tarasov falou sobre a possibilidade de contra-ataque sírio ao aeroporto de Tel Aviv.

"Síria poderia contra-atacar? Potencialmente, do ponto de vista das capacidades militares, sim. Mas seria esse o cenário desejável? Claro que não. Neste caso, uma função definidora deve ser empenhada pelos representantes da Força Aeroespacial da Rússia, e pelos contatos dos líderes."

Para Tarasov, Israel está tentando reestabelecer diálogo a alto nível, e o agravamento da situação só impulsiona para reestabelecimento do diálogo.

Em 21 de janeiro, os militares israelenses atacaram instalações militares do Irã na Síria. Os militares israelenses destacaram que o ataque a alvos iranianos foi feito em resposta ao lançamento de um míssil pelas forças iranianas do território sírio contra o norte das Colinas de Golã.

Anteriormente, em 20 de janeiro, segundo informou o Centro Nacional de Controle da Defesa da Rússia, os sistemas de defesa aérea Pantsir e Buk, operados pela Síria, destruíram sete mísseis israelenses. De acordo com o comunicado do centro, o ataque com mísseis foi realizado por quatro aviões F-16 israelenses a partir do mar Mediterrâneo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas